CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 214.3.54.O Hora: 12h56 Fase: OD
  Data: 17/07/2013



O SR. PRESIDENTE (Ricardo Berzoini) - Concedo a palavra ao Deputado Afonso Florence, por 1 minuto.
O SR. AFONSO FLORENCE (PT-BA. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Deputado Ricardo Berzoini, quero rapidamente registrar um novo indicador, recentemente divulgado, o IBC-BR, que aponta o desempenho da atividade econômica no País.
Os indicadores todos são no sentido de que, nos últimos 2 meses, tivemos redução da inflação, mas que agora há a perspectiva de retomada da atividade econômica, com potencial de crescimento, inclusive, de 4% no segundo semestre.
Então, nós temos ouvido de Parlamentares da oposição, de setores da imprensa de oposição, uma leitura pessimista da realidade brasileira, como se as manifestações de rua fossem contra a condução da política nacionalpelo Governo da Presidenta Dilma. Nós queremos dizer que um conjunto de ações foi adotado, no sentido de garantir recursos para a infraestrutura e mobilidade urbana, apostando-se na reforma política —como bem ressaltou V.Exa. aqui; apostando-se no fim do financiamento privado, no fim do poder da grana na política brasileira, para que haja mais recursos para a saúde; apostando-se na garantia de existência de médicos para as famílias que mais precisam, no interior do Brasil, como na periferia das grandes cidades; apostando-se na ampliação da oferta de vagas de ensino superior, de escolas técnicas e de universidades públicas, com cotas para os filhos dos pobres, para garotos egressos do ensino médio.
E, quanto àquele ponto a que a Oposição se apegava, de quea economia brasileira estaria quebrando, que se iria entrar em recessão, que a inflação iria para o descalabro, todos os indicadores apontam o oposto.
Então o povo brasileiro pode ficar tranquilo porque nós estamos estabilizando a inflação, reduzindo a possibilidade de que ela persevere, garantindo o poder aquisitivo dos trabalhadores, das trabalhadoras.
Vamos continuar com a política de fortalecimento do salário mínimo; vamos garantir o Bolsa Família, o bolsa floresta, o bolsa estiagem. Vamos atender a quem mais precisa!
Portanto, Sr. Presidente, quero pedir ressalva e solicitar a V.Exa. que autorize a divulgação do meu discurso nos Anais da Casa.
O SR. PRESIDENTE (Ricardo Berzoini) - Concedo a palavra ao Sr. Deputado Fernando Ferro. V.Exa. dispõe de 1 minuto.
O SR. FERNANDO FERRO (PT-PE. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, é estranha a transação envolvendo a FIFA e o interesse pela transmissão de jogos, de que a Rede Globo de Televisão participou, o que levou à condenação de João Havelange e Ricardo Teixeira.
O curioso é que, nesse processo, a Rede Globo, que ganhara a prioridade da transmissão, foi condenada porque, nessa transação, sonegou recursos em paraísos fiscais, na verdade, infernos fiscais.
Na época — valores de 2006 — a dívida da Rede Globo era de 615 milhões de reais. Hoje já passa de 1 bilhão de reais. E o curioso é que o processo, que tramitava no Fisco, desapareceu pelas mãos de uma funcionária da Rede Globo, que foi processada e demitida, e que inclusive foi presa. Mas entrou em cena o Ministro Gilmar Mendes, que lhe concedeu uma liminar e a liberou.
Portanto, estamos assistindo agora a um retomar desse processo, que foi mantido em sigilo por haverevidentes interesses e riscos. E nada se fala...
Estou a aguardar, Sr. Presidente, que o Arnaldo Jabor, o Merval Pereira e outro comentarista digam, em alto e bom som: Isto é uma vergonha! Uma emissora de televisão, como a TV Globo, que fala em reforma tributária,e, no entanto, não cumpre os procedimentos mais comezinhos da sua relação com o Fisco brasileiro!
Nós aguardamos os comentários indignados da Miriam Leitão, do Jabor e do imortal Merval Pereira.