CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: 189.1.52.O Hora: 17h2 Fase: BC
  Data: 16/09/2003

Sumário

Transcurso do 50º aniversário de existência da Igreja de São Pelegrino em Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul.




O SR. PRESIDENTE (Colombo) - Concedo a palavra ao Deputado José Ivo Sartori.
O SR. JOSÉ IVO SARTORI (PMDB-RS. Sem revisão do orador.) - Deputado Colombo, é uma satisfação vê-lo na Presidência dos trabalhos nesta tarde.
Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, ocupamos a tribuna no dia de hoje para registrar os 50 anos da Igreja de São Pelegrino, monumento da imigração e da colonização italiana no Estado do Rio Grande do Sul e maior atração turística de Caxias do Sul. Localizada no centro da cidade, abriga as obras mais importantes do pintor italiano Aldo Locatelli. Também possui uma réplica da Pietà, de Michelangelo, doada pelo Papa Paulo VI por ocasião do centenário da colonização. As portas frontais da igreja são feitas de bronze, com temas expressos em alto relevo. Foram esculpidas na Itália e fundidas em Caxias do Sul. Os portais de bronze traduzem as faces da Paz, da Justiça e do Amor.
No ano de 2000, aprovamos na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul projeto de nossa autoria que transforma a Igreja de São Pelegrino em Patrimônio Cultural do Estado. O projeto, aprovado por unanimidade,foi sancionado pelo Governo do Estado e possibilitou a inclusão da igreja na Lei de Incentivo à Cultura e a conseqüente captação de recursos para benfeitorias e construção de um museu, uma idéia que se transformouem realidade pelo trabalho incansável e competente da historiadora Tânia Maria Zardo Tonet e pelo amparo e pelo incentivo do pároco, Padre Mário Pedrotti. A Casa de Memória São Pelegrino recorda a origem do bairro, a construção da igreja, os personagens Padre Eugênio Giordani e Aldo Locatelli, bem como as pinturas que tornaram a igreja um centro de atração turística, que, a cada ano (sem a Festa da Uva), atrai mais de 100 mil visitantes.
A devoção a São Pelegrino em Caxias do Sul está vinculada aos primórdios da imigração italiana e à fundação da cidade. Em 20 de setembro de 1879, chegava ao antigo Campo dos Bugres a família de Salvador e Ângela Sartori, acompanhados pelos filhos Amália, Lino, Luiz, Carolina, Ludovico, Alberto, Maria, Máximo, Guerino e Sétimo. A filha Amália deixara na Itália o namorado, de nome Rafael Buratto, o qual também se transferiu para o Brasil e para Caxias, tempos após. Amália e Rafael aqui casaram e estabeleceram-se nas imediações da povoação, na colônia 21 A, numa chácara, que fazia parte da quadra 126, entre as atuais Ruas Feijó Júnior, Dr. Pestana e Av.Rio Branco. Rafael recebeu de presente de seu sogro uma imagem de São Pelegrino, santo a que se habituara a venerar ainda em Treviso, sua terra natal, província do Vêneto, no local denominado Ciano. Em terreno de sua propriedade, ergueu um capitel, mais tarde substituído por uma capela, sempre muito freqüentada pela população, que terminou dando origem a uma igreja na ponta triangular entre a Rua FeijóJúnior e Av. Rio Branco. Ali foram oficiados os cultos religiosos quando D. José Barea fundou a paróquia. Essa igreja foi substituída pelo atual e majestoso templo.
Localizada no bairro que leva o mesmo nome, a Igreja de São Pelegrino é muito mais do que ponto turístico ou um referencial religioso. Trata-se de um local onde se encontram várias gerações, um templo de oração e meditação, encravado no coração de Caxias do Sul, motivo de orgulho de toda a comunidade. Por essa razão, entendemos que este Parlamento presta justa e merecida homenagem a toda a comunidade de Caxias do Sul ao destacar os 50 anos da Igreja de São Pelegrino.
Sr. Presidente, solicito a V.Exa. a divulgação deste pronunciamento nos meios de comunicação da Casa.
Muito obrigado.


CINQUENTENÁRIO, TEMPLO, IGREJA CATÓLICA, MUNICÍPIO, CAXIAS DO SUL, RS, HOMENAGEM.
oculta