CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com reda����o final
Sessão: 164.3.53.O Hora: 14:36 Fase: PE
Orador: PEDRO WILSON, PT-GO Data: 30/06/2009




O
SR. PRESIDENTE (Inocêncio Oliveira ) - Concedo a palavra ao Sr. Pedro Wilson. 
O SR. PEDRO WILSON (PT-GO. Pronuncia o seguinte discurso.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados: Ele semeava tranquilo/ sem pensar na colheita/ porque muito tinha colhido do que outros semearam.../ Semeia com otimismo/ semeia com idealismo/ as sementes vivas/ da Paz e da Justiça. (Cora Coralina)
Queremos cumprimentar o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo extraordinário Prêmio Incentivo da Paz, Félix Houphouét-Baigny, concedido pela UNESCO — Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciências e Cultura, e dizer que a UNESCO em boa hora reconhece o trabalho de um militante da paz, de visão ampla que consegue ver o combate à fome, à pobreza e às desigualdades sociais como um instrumento importante na busca da justiça e da paz.
No momento em que o mundo busca a paz; no momento em que a Igreja de Deus lança a campanha da Fraternidade A Paz é Fruto da Justiça; no momento em que o Brasil encaminha conferências de direitos das minorias (na verdade, são grandes maiorias) como a II CONAPIR, de promoção da igualdade racial, ocorrida neste final de semana — e tivemos lá com o Presidente Lula, com o Ministro Edson Santos e com diversos outros Ministros do Governo —, queremos dizer da importância desse prêmio que tem por objetivo homenagear pessoas e entidades que contribuem para a cultura da paz mundial.
O prêmio coloca o Presidente do Brasil no mesmo nível de ilustres personalidades da história recente do mundo, como Nelson Mandela, da África do Sul, hoje sem apartheid, sem discriminação, onde o Brasil conseguiu no último domingo mais uma conquista esportiva: o título da Copa das Confederações; coloca o Presidente Lula no mesmo nível de Yasser Arafat, o líder da Frente de Libertação da Palestina, de Yitzak Rabin, de Shimon Peres, enfim. do próprio Félix Houphouét-Baigny, dos homens e mulheres livres da Costa do Marfim. Mais importante que esse prêmio só mesmo o Prêmio Nobel da Paz, com que já foi homenageado o latino-americano Adolfo Esquivel.
Criar uma cultura de paz, como o quer o Presidente Lula, é, antes de tudo, criar programas e políticas públicas para a crianças e adolescentes e para mulheres, como é o caso do programa que está sendo implantado, na região do Entornodo Distrito Federal, incluindo Formosa, pela Secretaria Especial da Mulher do Estado de Goiás em convênio com o Ministério da Justiça, o Mulheres da Paz. Queremos construir, no Entorno, em Goiás, no Distrito Federal e no Brasil, uma cultura da paz, combater o mal com a justiça, combater a violência com a paz.
Assim, queremos parabenizar o Presidente Lula pelo prêmio que irá receber no próximo dia 7 de agosto, em Paris, na UNESCO. É o reconhecimento do mundo da importância do Fome Zero, que encantou a ONU e encantou o mundo, do Bolsa Família, do PROUNI, os IFETs, enfim, de todos os outros programas de inclusão social e de diminuição das desigualdades sociais no País.
Queremos também parabenizar o Ministro Fernando Haddad, que hoje, pela manhã, empossou o Prof. Paulo Cesar Pereira, nosso amigo, reeleito por unanimidade dos votos da comunidade escolar — professores, acadêmicos e pais de alunos —, como Reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, que antes funcionara como Escola Técnica e depois transformou-se em CEFET. Assinale-se que este ano o Instituto completa 100 anos de existência.
Queremos igualmente parabenizar o Ministro Fernando Haddad pelo lançamento oficial do Fórum Mundial de Educação Tecnológica, previsto para ocorrer em novembro, em Brasília, assim como esta Casa, a Comissão de Educação e Cultura e a Deputada Maria do Rosário pela realização da videoconferência que abriu a discussão sobre o Plano Nacional de Educação, que terá os Deputados Marco Maia e Odair Cunha na comissão temática.
É possível afirmar que o Brasil está mudando para melhor. O mundo assim o reconhece nos avanços do nosso Governo.
Ficamos felizes e orgulhosos com a homenagem da UNESCO.
Viva o Brasil. Viva o povo brasileiro!!!
Aproveito ainda a oportunidade, Sr. Presidente, para registrar que ontem, representando a Comissão de Direitos Humanos e Minorias, o Presidente Luiz Couto e eu estivemos em São Paulo, com a Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos, para participar de seminário promovido pelo Instituto de Estudos da Cidadania, na Livraria Cultura.
O seminário tinha como tema As possibilidades de justiça no acerto de contas do Estado brasileiro com as vítimas do regime militar. Na ocasião, proferi palestra cujo inteiro teor solicito seja inserido nos Anais da Casa.
As procuradoras e professoras Glenda Mezarobba, Inês Virgínia Soares e Sandra Akemi Kishi coordenaram o seminário, que contou com a participação do Ministro Paulo Vannuchi, do grande advogado Dalmo Dallari e de outras autoridades.
Na ocasião, foi lançado o livro Memória e Verdade: a Justiça de Transição no Estado Democrático Brasileiro.
PALESTRA A QUE SE REFERE O ORADOR
(INSERIR DOCUMENTO DETAQ DE PÁGS.)