CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com reda����o final
Sessão: 124.2.52.O Hora: 15:36 Fase: PE
Orador: SANDRO MABEL, PL-GO Data: 15/06/2004




O
SR. SANDRO MABEL (Bloco/PL-GO. Pronuncia o seguinte discurso.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, venho a esta tribuna, com muito pesar, render homenagens a um homem que, com a marca da simplicidade, revolucionou e dinamizou a capacidade do povo goiano. Faço referência ao Sr. João Alves de Queiroz, baluarte na afirmação de Goiás como entreposto do Norte e do Centro-Oeste, através de sua rede atacadista. Foi também o fundador da indústria Arisco, grande inovadora no setor de alimentação. Com o lançamento do tempero pronto, a Arisco se tornou conhecida em todo o território nacional, abrindo caminho para uma atuação de sucesso no segmento de tomatados.
João Alves de Queiroz, natural de Igarapava, São Paulo, teve uma trajetória de muita luta no mundo dos negócios. Iniciou seu império, que hoje passa até pelo setor das comunicações, produzindo e comercializando sal. Na década de 90, a Arisco, produzindo temperos e tomatados, era considerada uma das maiores empresas do País.
Goiás tem muito a contar sobre a saga desse homem. Para nós do segmento das indústrias de alimentação do Estado de Goiás, ficam estampados em tudo o que somos hoje os primeiros passos dados por João Alves de Queiroz.
Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, desejo ainda abordar outro assunto. Gostaria de registrar minha homenagem ao Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, comemorado em 10 de junho.
A data foi criada em 1977, pelo Governo português, e desde então é celebrada em todo o mundo, sobretudo por aqueles que compõem a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, com festivais, estudos e encontros para enaltecer a herança lusitana, sintetizada em Os Lusíadas, um dos maiores poemas épicos da humanidade, publicado em 1572.
Para nós, brasileiros, as festividades que envolvem a cultura e a história de Portugal têm um sentido e uma importância ímpares. Mesmo se por um momento não considerássemos os fatos históricos que nos unem àquele povo irmão,a simples comunhão lingüística já seria um elemento indissolúvel de aproximação e convergência de interesses.
Por isso mesmo, saudamos com entusiasmo as homenagens que se prestam à memória de Camões, mestre dos mestres no domínio e no uso criativo da língua portuguesa.
Saudamos o grande poeta e nos associamos aos que o têm como fonte inesgotável de riqueza e estímulo à inventividade e à ousadia que marcaram o império lusitano, cujo legado tanto nos honra.
O estreitamento dos laços que aproximam os povos falantes do português é uma das tarefas que têm sido conduzidas com determinação por Portugal e também pelo Brasil. Sabemos o quanto isso é importante nesses tempos de globalização e de relativização cultural e como nossa identidade se fortalece na medida de nossa integração lingüística.
Ler, conhecer, estudar Camões é, portanto, exercício indispensável ao cidadão dessa comunidade que fala português e que deve procurar reconhecer, na história de Portugal, imortalizada pelo gênio do poeta, suas próprias origens, as mais íntimas razões de seu modo de ser e de sua visão de mundo.
Nos dias de hoje, a participação de Portugal no grandioso projeto da Comunidade Européia, por um lado, aumenta suas responsabilidades em relação à preservação da língua e da cultura portuguesas e, por outro lado, amplia os horizontes de seu relacionamento com o Brasil e os demais países da CPLP, na medida em que serve de ponte entre esses povos e a cultura européia de modo geral, fortalecida com a unificação.
Nesse sentido, não podemos deixar de pensar em Portugal como a grande referência para um Brasil que continua travando uma luta sempre renovada pela afirmação de sua identidade nacional.
É onde poderemos encontrar forças para superar nossas limitações. Ou, como diria Sérgio Buarque de Hollanda, grande conhecedor das coisas do Brasil e de Portugal, é onde poderemos encontrar as possibilidades para transformar em força o que julgávamos ser nossas fraquezas.
Não poderia ser melhor o exemplo que temos de Portugal neste início de século. Uma nação que se afirma em seus ideais democráticos para forjar uma trajetória de modernização que procura encontrar o melhor equilíbrio entre a eficiência econômica, que permite a integração com outros povos, e o refinamento da tradição, matriz da autonomia e da autoconfiança cultural.
Assim, deixo aqui registrados meus votos de que o próximo dia 10 de junho seja mais uma oportunidade para fortalecer a cultura e a língua portuguesa e para que Portugal confirme para o mundo o exemplo de caráter e consciência nacional com queconquistou o respeito de todos.
O Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas vem sempre contribuir para reafirmar nosso orgulho de fazer parte dos povos que receberam o legado de Camões e é também uma oportunidade para que estreitemos os laços de amizade que unem Brasil e Portugal.
Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, valho-me também desta oportunidade para homenagear a tropa de elite da Polícia Militar do Estado de Goiás, pelos 2 anos, completados no dia 7 de junho, da sua existência como companhia independente.
Caros colegas, há 18 anos, dentro do Batalhão de Choque da Polícia Militar, foi criada uma divisão de policiais altamente capacitados, que respondem diretamente à Secretaria de Segurança, dando suporte ao serviço de inteligência do Governo.
Pois bem, nobres colegas, essa divisão é hoje a companhia ROTAM, comandada pelo Capitão Ricardo Rocha Batista e responsável por um dos maiores índices de eficiência registrados no País. Graças ao brilhante trabalho que vem sendo executado pelo Secretário de Segurança Pública, Jônathas Silva, essa companhia é respeitada por todos os goianos.
Recentemente o Governador Marconi Perillo renovou a frota da ROTAM, que freqüentemente tem suas viaturas avariadas na dura luta contra o crime.
A ROTAM conta hoje com um efetivo de 164 homens, armas especiais e treinamento, com instruções trazidas dos centros mais desenvolvidos do mundo. Essa divisão da Polícia Militar é a mais popular entre os goianos. E, de longe, é também a mais vista. Dando combate a assaltantes de banco, seqüestros relâmpagos e roubos de carros.
Quero aqui, conforme já disse, enaltecer o desempenho desses corajosos policiais e dar os parabéns à Polícia Militar pelo brilhante trabalho que tem prestado através da ROTAM. Desejo que, após esses anos todos de serviços prestados à sociedade, possa comemorar ainda muitos outros aniversários.
Era o que eu tinha a dizer.
Muito obrigado.