CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: Hora: Fase:
Orador: Data:




O SR. MAURO LOPES (Bloco/PMDB-MG.) - Prezado Presidente Eduardo Cunha, ocupei o cargo de Ministro de Estado do atual Governo e guardarei a gratidão comigo. Mas, honrando o nosso PMDB com lealdade, na condição de Secretário-Geral do PMDB, junto com o nosso honrado Presidente do partido, Michel Temer, acompanhando também a nossa bancada de Minas Gerais dos Deputados Federais, acompanhando também a bancada do PMDBda Assembleia Legislativa de Minas Gerais, pelo povo de Minas Gerais e também esperando o crescimento do transporte deste País, que está exatamente em uma situação agonizante, eu quero aqui dizer, Sr. Presidente, do fundo da minha alma, pensando na minha família, na minha esposa, nos meus filhos, nos meus netos e nos meus conterrâneos da minha querida Caratinga, que eu voto sim. (Palmas.)
O SR. BETO MANSUR - Deputado Mauro Lopes, do PMDB de Minas Gerais: voto sim. Total: 298 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Miguel Corrêa, do PT.
O SR. MIGUEL CORRÊA (PT-MG.) - Senhoras e senhores, cidadãos e cidadãs do Brasil, população brasileira que foi às ruas pelas manifestações contrárias à corrupção, especialmente a favor da democracia, saibam que o mais sagrado de um Estado Democrático de Direito é a sua Constituição, e cumprir a sua regra significa votar "não" ao impeachment.
O SR. FELIPE BORNIER - Deputado Miguel Corrêa, do PT de Minas Gerais: voto "não". Total: 98 votos contrários.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Misael Varella, do Democratas.
O SR. MISAEL VARELLA (DEM-MG.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, em respeito aos eleitores mineiros que confiaram o seu voto a mim para suceder o meu pai, Lael Varella, pela Fundação Cristiano Varella, que é o hospital de câncer, pela transparência contra a corrupção, pelo resgate de novas esperanças e pelo resgate da credibilidade política e social, voto sim.
O SR. BETO MANSUR - Deputado Misael Varella, do DEM de Minas Gerais: voto sim. Total: 299 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Newton Cardoso Jr, do PMDB.
O SR. NEWTON CARDOSO JR (Bloco/PMDB-MG.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, dirijo-me a toda a população brasileira neste momento, em especial a todas as famílias e a nossa juventude mineira. Quero dizer que, pela retomada do crescimento no nosso País, por um País verdadeiramente melhor e fiscalmente responsável, pela renovação das esperanças nos corações de todos os brasileiros, por Minas Gerais e pelo Brasil, eu, Newton Cardoso Jr, voto sim.
O SR. BETO MANSUR - Newton Cardoso Jr, do PMDB de Minas Gerais: voto sim. Total: 300 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Odelmo Leão, do PP.
O SR. ODELMO LEÃO (Bloco/PP-MG.) - Sr. Presidente, o meu desejo é que, amanhã, renasça um novo dia neste País, nos lares de milhares e milhares de brasileiros, mineiros da minha região do Triângulo Mineiro e na minha querida Uberlândia.
Que Deus nos abençoe! Amanhã é um novo dia de esperança. Meu voto é sim.
O SR. BETO MANSUR - Odelmo Leão, PP de Minas Gerais: voto sim. Total: 301 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Padre João, do PT.
O SR. PADRE JOÃO (PT-MG.) - Pelo respeito ao voto popular, pela Presidenta Dilma, que não cometeu nenhum crime de responsabilidade, pelos movimentos sociais, pela agricultura familiar, pela reforma agrária, pelo povo que está nas ruas exigindo respeito à Constituição, pelo povo latino-americano, eu voto não.
E a luta continua, companheiros!
O SR. FELIPE BORNIER - Deputado Padre João, do PT de Minas Gerais: voto não. Total: 99 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Patrus Ananias, do PT.
O SR. PATRUS ANANIAS (PT-MG.) - Colegas Deputadas e Deputados, na minha sexagenária caminhada de militante político e social cristão, jamais vi e ouvi tantas afrontas ao segundo, ao quarto e ao sétimo mandamentos da lei de Deus.

Quero dizer também, colegas Deputadas e Deputados, que reassumi nesta Casa o mandato que o povo de Minas Gerais me confiou nas urnas, para lutar contra três golpes que as forças mais conservadoras querem impor ao País. Estamos aqui para impedir um golpe, para lutar contra um golpe contra a Presidenta Dilma. Estamos aqui para lutar contra um golpe contra a democracia brasileira. (Manifestação no plenário.)
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Como vota, Deputado?
O SR. PATRUS ANANIAS - Por último, quero denunciar que a população brasileira vai ser testemunha do golpe contra as políticas sociais.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Como vota, Deputado?
O SR. PATRUS ANANIAS - O golpe contra o Bolsa Família.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Como vota, Deputado?
O SR. PATRUS ANANIAS - O golpe contra o Minha Casa, Minha Vida.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Como vota, Deputado?
O SR. PATRUS ANANIAS - O golpe contra os pobres.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Como vota, Deputado?
O SR. PATRUS ANANIAS - Portanto, o nosso voto é não. Não, não passarão, não passarão. (Manifestação do plenário.)
O SR. FELIPE BORNIER - Deputado Patrus Ananias, do PT de Minas Gerais: voto não. Total: 100 votos contrários.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Paulo Abi-Ackel, do PSDB.
O SR. PAULO ABI-ACKEL (PSDB-MG.) - Sr. Presidente, não há absolutamente nenhum golpe em curso neste País. Háabsoluto respeito à Constituição Federal. Por isso, com muita convicção, certo de que estou cumprindo com o meu dever cívico, patriótico, voto sim ao impedimento da Presidente da República.
O SR. BETO MANSUR - Deputado Paulo Abi-Ackel, do PSDB de Minas Gerais: voto sim. Total: 302 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputada Raquel Muniz, do PSD.
A SRA. RAQUEL MUNIZ (Bloco/PSD-MG.) - Sr. Presidente, o meu voto é em homenagem às vítimas da BR-251. O meu voto é para dizer que o Brasil tem jeito, e o Prefeito de Montes Claros mostra isso para todos nós com a sua gestão. O meu voto é por Tiago, David, Gabriel, Mateus, minha neta Júlia, minha mãe, Elza. Meu voto é pelo norte de Minas, épor Montes Claros, é por Minas Gerais, é pelo Brasil. Sim, sim, sim! (Manifestação no plenário.)
O SR. BETO MANSUR - Deputada Raquel Muniz, PSD, Estado de Minas Gerais: voto sim. Total: 303 votos acumulados.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Como vota o Deputado Reginaldo Lopes, do PT?
O SR. REGINALDO LOPES (PT-MG.) - Quero convidar o povo brasileiro para permanecer nas ruas, porque esta Legislatura játem um lugar na história, na história de ser a Legislatura revanchista à Constituição de 1988. Vários que estão aqui acham que a Constituição de 1988 não cabe no capitalismo brasileiro. Por isso, querem rasgar a Constituição.
O Presidente Eduardo Cunha transforma esta Legislatura num tribunal de exceção. Querem caçar uma Presidente honesta, querem caçar uma Presidente que não cometeu nenhum crime. Querem, em nome da corrupção seletiva, enriquecer alguns, como o Presidente Eduardo Cunha, que é o beneficiário da corrupção, e a Presidenta Dilma é a vítima desse processo.
Não ao golpe! Vamos à luta! Vamos contra os golpistas! Vamos à luta!
O SR. FELIPE BORNIER - Deputado Reginaldo Lopes, do PT de Minas Gerais: voto não. Total: 101 votos contrários.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Renzo Braz, do PP.
O SR. RENZO BRAZ (Bloco/PP-MG.) - Sr. Presidente, pelo futuro de nossas crianças, pelos meus filhos, Marina, Gilberto Braz e Renzo Braz, por minha mulher, por minha Minas e a favor do Brasil, eu voto sim, Sr. Presidente. (Manifestação no plenário.)
O SR. BETO MANSUR - Deputado Renzo Braz, do PP de Minas Gerais: voto sim. Acumularam-se 304 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Rodrigo de Castro, do PSDB.
O SR. RODRIGO DE CASTRO (PSDB-MG.) - Por um futuro melhor para a nossa gente, precisamos reconstruir o País, arrasado pela quadrilha do PT. Precisamos dar novamente esperança às famílias brasileiras.
Pelos exemplos e ensinamentos de meu pai, por meus filhos, por minha família, em memória de Juscelino e Tancredo, em honra à bandeira de Minas Gerais, sim ao impedimento da Presidente da República! (Palmas.)
O SR. BETO MANSUR - Deputado Rodrigo de Castro, do PSDB de Minas Gerais: voto sim. Acumularam-se 305 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Rodrigo Pacheco, do PMDB.
O SR. RODRIGO PACHECO (Bloco/PMDB-MG) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, neste processo jurídico e político, a minha decisão se baseia no entendimento de uma parte considerável da comunidade jurídica brasileira, inclusive da respeitadíssima Ordem dos Advogados do Brasil.
Em respeito ao meu glorioso e histórico PMDB de Minas Gerais, sobretudo em razão da vontade, uma vontade manifesta, clara e sincera do povo de Minas, terra de Tiradentes e de todos os brasileiros, o meu voto é sim. (Manifestação no plenário.)
O SR. BETO MANSUR - Deputado Rodrigo Pacheco, do PMDB de Minas Gerais: voto sim. Acumularam-se 306 votos.
O SR. PRESIDENTE(Eduardo Cunha) - Deputado Saraiva Felipe, do PMDB. 
O SR. SARAIVA FELIPE (Bloco/PMDB-MG.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, a decisão unânime do PMDB de Minas Gerais levou em conta, primeiro, o relatório do Deputado Jovair Arantes. Em segundo lugar, pesou muito o descalabro econômico que nós estamos vivendo. Nós temos o recuo das políticas sociais, nós temos a saúde que está em frangalhos, temos uma educação que está cada vez mais com dificuldades, os recursos do FIES estão sendo reduzidos.
Então, a pergunta que perpassou a nossa decisão unânime foi: o Brasil dá conta de esperar até 2018?
Portanto, o meu voto, que é o voto unânime do PMDB de Minas Gerais, é sim.
O SR. BETO MANSUR - Deputado Saraiva Felipe, do PMDB de Minas Gerais: voto sim. Total: 307 votos acumulados.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Stefano Aguiar, do PSD.
O SR. STEFANO AGUIAR (Bloco/PSD-MG.) - Liliene, meu amor, esse voto é pelo Lorenzo, nosso filho, pelas futuras gerações, pelas crianças do Brasil. Quero homenagear aqui os 3 milhões de guerreiros e guerreiras da família, da nação quadrangular, que há 65 anos contribui e ora por um Brasil melhor.
Existe um provérbio que diz: Minas Gerais é a terra do ouro e do diamante e o mineiro em silêncio segue o passo de um gigante. Mas este mineiro aqui não vai ficar em silêncio.
Não há golpe! Impeachment! Meu voto é sim. (Manifestação no plenário.)
O SR. BETO MANSUR - Deputado Stefano Aguiar: voto sim. Total: 308 votos acumulados.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Subtenente Gonzaga, do PDT.
O SR. SUBTENENTE GONZAGA (PDT-MG.) - Sr. Presidente, sou policial militar em Minas Gerais, uma categoria de trabalhadores que vive e morre todos os dias neste Brasil, com mais de 60 mil vítimas anualmente, em consequência da impunidade. Para mim, se a impunidade tem uma mãe, tem uma origem, tem um DNA, essa é a corrupção.
Por acreditar em poder contribuir com o combate à corrupção, com o combate à impunidade, em todos os níveis de governo, inclusive, nesta Casa, da direita e da esquerda, eu voto sim. (Manifestação no plenário.)
O SR. BETO MANSUR - Subtenente Gonzaga, do PDT de Minas Gerais: voto sim. Total: 309 votos acumulados.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Tenente Lúcio, do PSB.
O SR. TENENTE LÚCIO (PSB-MG.) - Por Minas e pelo Brasil, pelo Exército Brasileiro, quero aqui, Sr. Presidente, em nome do grupão de amigos de Uberlândia e região, Alexandre Andrade, em nome da memória de Eduardo Campos, que me trouxe para o PSB, Valentina, dizer que o meu voto é sim. (Manifestação no plenário.)
O SR. BETO MANSUR - Deputado Tenente Lúcio, do PSB de Minas Gerais: voto sim. Total: 310 votos acumulados.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Como vota o Deputado Toninho Pinheiro, do PP.
O SR. TONINHO PINHEIRO (Bloco/PP-MG) - Com muita humildade e respeito, pela minha amada Ibirité, por toda Minas Gerais e pelo Brasil, nós pedimos, punição exemplar contra aqueles políticos que se juntaram a alguns empreiteiros milionários que estão roubando o Brasil há mais de 20 anos, dos mais diversos partidos e Governos, conforme se confirma na Lava Jato.
Eu quero pedir a Deus sabedoria. Não queremos enganar a população e precisamos encontrar um caminho para que ninguém nunca mais roube no Brasil e nunca falte recurso para a saúde.
Eu voto sim pelo impeachment.
O SR. BETO MANSUR - Deputado Toninho Pinheiro, do PP de Minas Gerais: voto sim. Total: 311 votos acumulados.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Como vota o Weliton Prado, do PMB.
O SR. WELITON PRADO (PMB-MG) - Repudio e sou contra a negociação de cargos feita à vista pelo Governo, repudio e sou contra a negociação de cargos feita a prazo pelo Temer. Se há crime de responsabilidade para a Dilma, há crime, sim, de responsabilidade para o Temer.
Cartão vermelho para Dilma! Cartão vermelho para Temer! Cartão vermelho para Cunha! Para pacificar o País, Constituinte exclusiva! Para pacificar o País, novas eleições e uma reforma política já!
Meu voto é sim.
O SR. BETO MANSUR - Deputado Weliton Prado: voto sim. Total: 312 votos acumulados.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Zé Silva, do Solidariedade.
O SR. ZÉ SILVA (SD-MG.) - Pela agricultura familiar, pela extensão rural brasileira, pela minha família, por Minas Gerais e pelo Brasil. O outro nome de Minas é liberdade. Eu voto sim!
(Manifestação no plenário.)
O SR. BETO MANSUR - Deputado Zé Silva, SD de Minas Gerais, votou sim. Total: 313 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Vamos para o Estado da Bahia e, em seguida, Paraíba.
O primeiro Parlamentar da Bahia é o Deputado Afonso Florence.
O SR. AFONSO FLORENCE (PT-BA.) - Considerando que esse processo de impeachment está maculado na sua origem, porque foi acatado num processo de esforço do Deputado Eduardo Cunha para impedir a admissibilidade da investigação no Conselho de Ética, quando o PT se negou a votar; considerando que não hácrime de responsabilidade e considerando que a pauta traz a derrota de uma agenda conservadora, que agora é vitoriosa, com a luta da reforma agrária, que está na rua, do Bolsa Família, do Minha Casa, Minha Vida, das contas das universidades, do povo negro, com a luta pelos direitos das mulheres, que estão na rua com o movimento estudantil e a juventude lutando pela legalidade democrática, contra o golpe, não!
A luta continua! Não ao golpe!
(Manifestação no plenário.)
O SR. FELIPE BORNIER - Deputado Afonso Florence, do PT da Bahia, votou não, totalizando 102 votos contrários.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputada Alice Portugal, do PCdoB.
A SRA. ALICE PORTUGAL (PCdoB-BA.) - O Brasil já tem a prova de que não há crime. Se não hácrime de responsabilidade, não há justificativa para impeachment e é golpe. O tribunal de exceção foi montado, como o inquisitor à frente, Sr. Eduardo Cunha!
Na Bahia se diz: com tiranos não combinam brasileiros, corações. O Brasil não engolirá a sua tirania nem o cretinismo parlamentar. É não ao golpe! Não ao golpe.
(Manifestação no plenário.)
O SR. FELIPE BORNIER - Deputada Alice Portugal, do PCdoB da Bahia, votou não, totalizando 103 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Antonio Brito, do PSD.
O SR. ANTONIO BRITO (Bloco/PSD-BA.) - Sr. Presidente, meu voto é não.
O SR. FELIPE BORNIER - Deputado Antonio Brito, da Bahia, do PSD, votou não. Total: 104 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Antonio Imbassahy, do PSDB.
O SR. ANTONIO IMBASSAHY (PSDB-BA.) - Sr. Presidente, pedindo a Deus que ilumine o Brasil, eu vim da Bahia para dizer "sim".
(Manifestação no plenário.)
O SR. BETO MANSUR - Deputado Antonio Imbassahy, do PSDB da Bahia, votou "sim". Total: 314 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Arthur Oliveira Maia, do PPS.
O SR. ARTHUR OLIVEIRA MAIA (PPS-BA.) - Sr. Presidente, eu voto com a maioria do povo brasileiro. Eu voto, Sr. Presidente, na esperança de construirmos um País em que caiba a grandeza da felicidade, do futuro de todos os brasileiros. Pela Bahia e pelo Brasil! Meu voto é"sim".
(Manifestação no plenário.)
O SR. BETO MANSUR - Deputado Arthur Oliveira Maia, do PPS da Bahia, votou "sim". Total: 315 votos.
O SR. PRESIDENTE (Eduardo Cunha) - Deputado Bacelar, do PTN.
O SR. BACELAR (Bloco/PTN-BA.) - Em respeito à Constituição, à democracia e ao povo, voto não.
O SR. FELIPE BORNIER - Deputado Bacelar, da Bahia, votou não. Total: 105 votos contrários.