CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com reda����o final
Sessão: 084.3.53.O Hora: 11:10 Fase: BC
Orador: CLAUDIO CAJADO, DEM-BA Data: 29/04/2009




O SR. PRESIDENTE (Inocêncio Oliveira) - Concedo a palavra ao nobre Deputado Claudio Cajado. Em seguida, à Deputada Sandra Diogo.
O SR. CLAUDIO CAJADO (DEM-BA. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, quero registrar o aniversário de criação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária —EMBRAPA, que, sem sombra de dúvida, tem contribuído enormemente não apenas com o nosso País, mas também com os diversos países que se utilizam dos conhecimentos, da experiência e da capacidade técnica dela.
Nesta oportunidade, parabenizo todo o corpo diretivo da EMBRAPA, na pessoa do seu Presidente, os diretores e funcionários que dão muitas alegrias a todos nós, brasileiros, que conhecemos de perto o talento, a competência e a história dessa empresa que honra o Brasil.
A EMBRAPA tem elevado conceito entre todos os brasileiros, principalmente entre aqueles que utilizam seus conhecimentos técnicos, que são os homens do campo, os agricultores e os produtores rurais. Eles têm agregado qualidade à produção a partir dos conhecimentos que lhes são transmitidos.
Por isso, Sr. Presidente, neste primeiro momento, registro também a minha alegria de participar hoje à noite da solenidade em homenagem à EMBRAPA.
Sr. Presidente, a Mesa da Casa acertou ao tomar decisão em relação à cota de passagens dos Parlamentares. Evidentemente, nenhum de nós sabia que haveria impedimento na concessão de passagens a familiares. Essa discussão veio em boa hora. E nós, que agimos de boa-fé — falo em meu nome —, temos de nos submeter a uma orientação que não é apenas da Mesa, mas também da opinião pública. E a opinião pública não assimilou a condição de o Deputado ter que se fazer acompanhar, em missões oficiais ou no deslocamento para Brasília, de esposa e filhos.
Paciência. Talvez amanhã a sociedade repense o assunto. Se esse, porém, é o desejo da sociedade, temos efetivamente de nos submeter a ele, porque somos eleitos pelo povo, diferentemente do Poder Judiciário e dos Ministros do Executivo, e a ele devemos essa observação.
Por isso, entendo que a Mesa agiu corretamente e essa decisão tem de ser referendada por nós. Épreciso o apoiamento de todos nós em defesa da instituição, a fim de continuarmos exercendo nossos mandatos — como já havia a compreensão de nossos familiares. Espero, a partir de agora, como a Mesa decidiu promover ampla discussão de tudo o que existe em termos de ajuda para o exercício do Parlamentar, que a decisão venha a público, a fim de que, a partir daí, os outros Poderes adotem o mesmo procedimento, que, a meu ver, é mais do que justo e correto.
Portanto, a Câmara dos Deputados está dando mais uma vez o exemplo, com sua postura de transparência permanente. Espero que o que decidirmos seja transmitido e assimilado pelos demais Poderes da República.
Muito obrigado.