CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: 061.1.53.O Hora: 10h54 Fase: BC
  Data: 10/04/2007

Sumário

Cumprimentos aos Prefeitos do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil, ao ensejo da realização da 10ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios. Assassinato do Soldado Guaracy Oliveira da Costa, da Polícia Militar do Rio de Janeiro. Pedido ao Governo Federal de realização de investimentos sociais em morros e favelas fluminenses.




O SR. PASTOR MANOEL FERREIRA (Bloco/PTB-RJ. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, nesta oportunidade, quero cumprimentar os Prefeitos do Brasil, em especial, do meu Estado, Rio de Janeiro, que realizam a tradicional Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios e buscam evidentemente defender os interesses de cada municipalidade.
Além deste assunto, traz-me à tribuna um terrível acontecimento: o assassinato, ontem, no Rio de Janeiro, do soldado Guaracy Oliveira da Costa — o nº 39 até ontem, porque hoje de manhã, o número de policiais mortos no Rio de Janeiro chegou a 41. Guaracy fazia a segurança da família do Governador Sérgio Cabral. No velório, de forma consternada, o Governador lamentou profundamente a morte do policial e disse que já está cansado de ir a velórios de policiais assassinados pelos criminosos no Rio de Janeiro.
Sabemos que um dos melhores quadros da polícia deste País, Dr. José Mariano Beltrame, Secretário de Segurança do Rio de Janeiro, tem feito o possível tanto na área da inteligência quanto na área de combate intensivo ao crime, mas não tem encontrado solução para os violentos problemas que assolam a Cidade Maravilhosa. As favelas do Rio de Janeiro nunca passaram tanta fome, tanto flagelo e tanta miséria quanto agora.
Vimos lutando ali contra a maré. A política até agora empregada ali, com todo respeito, talvez não seja a melhor solução, neste momento, para o Rio de Janeiro. Talvez a grande solução esteja nas mãos do Governador. Ou seja, começar o trabalho da Ação Social do Rio de Janeiro, abrir oportunidades de emprego, investir um pouco mais na Educação, no artesanato, enfim, na mão-de-obra.
Infelizmente, o Rio de Janeiro passa por momentos difíceis. Nos seus morros e favelas, milhares de criaturas morrem de fome. O problema é não ter comida nem remédios; o problema é não ter saúde nem educação.
Duzentos e sete bilhões de reais foram recolhidos até agora só pela CPMF, que, como dizia o saudoso Dr. Adib Jatene, ex-Ministro da Saúde, era destinada a sanar os problemas da Saúde. Desde então, e lamentavelmente, vem sendo desviada para outras áreas.
O Rio de Janeiro continua sofrendo terrivelmente, assim como outros Estados, com a dengue e outras doenças que pareciam ter sido extintas e que retornam agora, a exemplo do sarampo.
Quantos recursos deveriam ser investidos na Saúde, mas vêm sendo desviados para outras áreas que talvez não sejam prioritárias?
Por tudo isso vimos aqui pedir ao Governo Federal que não mande ao Rio de Janeiro o Exército, que não está habilitado a atuar nessa área, mas, sim, que envie recursos para serem investidos na Ação Social, nos morros e nas favelas do Rio de Janeiro, porque é de comida e de remédio que aquele povo precisa e muito.
Muito obrigado.


MARCHA, PREFEITO, CIDADE, BRASÍLIA, DF, DEFESA, MUNICÍPIOS, SAUDAÇÃO. HOMICÍDIO, GUARACY OLIVEIRA DA COSTA, SOLDADO, POLICIAL MILITAR, RJ. SEGURANÇA PÚBLICA, RJ, COMBATE, VIOLÊNCIA, CRIMINALIDADE, DESTINAÇÃO, RECURSOS PÚBLICOS, AÇÃO SOCIAL, ASSISTÊNCIA SOCIAL, GOVERNO ESTADUAL, DEFESA, ENVIO, TROPA, FORÇA ESPECIAL, EXÉRCITO, CRÍTICA.
oculta