CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com reda����o final
Sessão: 049.3.53.O Hora: 10:24 Fase: BC
Orador: CHICO ALENCAR, PSOL-RJ Data: 26/03/2009




O SR. CHICO ALENCAR (PSOL-RJ. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, uma ação eficiente da Polícia Federal desbaratou um sistema suspeito de praticar a alta corrupção, o que não é novidade no Brasil. Talvez a novidade seja o sistema estar sendo desvendado agora e com contundência, o que é muito importante.
Uma grande empreiteira, conhecida de todos nós, a Camargo Corrêa, estaria fazendo tráfico de influência para viciar licitações e — isso diz respeito aos executivos —, no que nos toca de maneira mais direta, financiando a latere e ilegalmente campanhas de grandes partidos políticos.
Os partidos e eventuais beneficiários desse esquema de corrupção que estão sendo investigados jáestão negando. Novamente se reafirma nossa profunda convicção: enquanto houver financiamento privado de campanhas e falta de limites para esses gastos, esse tipo de problema vai acontecer.
O Prefeito da minha cidade declarou que gastou 12 milhões de reais na campanha. Os maldosos dizem que podem ter sido o dobro ou o triplo.
Enquanto não mudarmos nosso sistema político eleitoral, estaremos consolidando uma plutocracia.
A Deputada Alice Portugal e o Deputado Geraldo, para citar os que estão no meu campo de visão, podem, junto comigo, estar se despedindo dessa possibilidade de representar o povo brasileiro, Deputado Luiz Sérgio, porque cada vez mais se criam uma plutocracia e um mecanismo do dinheiro para consolidar mandatos.
A reforma política com financiamento público, exclusivo e austero, com limites claros e vigilância severa das campanhas, é fundamental. Senão, haverá escândalos sucessivos e pessoas tentando escapar.
Sr. Presidente, semana que vem teremos o dia mundial de luta contra a crise, contra o desemprego. No dia 30, em várias Capitais do País, haverá manifestações. Os trabalhadores não podem pagar pela crise — isso éfundamental.
Quero acrescentar também ao meu pronunciamento artigo de minha autoria publicado no Jornal do Brasile intitulado A Indonésia é aqui?, uma indagação sobre os mecanismos de combate à corrupção na Indonésia que podem ser aproveitados, em parte, em nosso País.
Por fim, Sr. Presidente, o Deputado Jair Bolsonaro, que sempre vem à tribuna defender o regime militar, como o fez ontem, e, inclusive, os procedimentos, digamos, heterodoxos contra os inimigos do regime à época, fez uma representação contra mim na Corregedoria sobre uma suposta consultoria que teria sido feita para favorecer o ex-Deputado João Alfredo Telles Melo, ambientalista, ecologista, que, no interregno desses mandatos públicos, como todo trabalhador, além de advogado, mestre em Direito Público, trabalhou como consultor inclusive do Greenpeace. O ex-Deputado prestou serviços ao meu mandato, dos quais muito me orgulho, pois que consultoria concreta, útil, legal e legítima.
Uma vez que o Deputado Jair Bolsonaro quis me dar a chance, segundo S.Exa., de provar que tudo foi feito com transparência e lisura, eu respondi e dei trabalho para o Corregedor, que já está ocupado com tantas outras coisas. Espero que na semana que vem não fique mais ainda com a publicação correta do gasto da verba indenizatória. Apresentei uma inicial de 12 páginas, 15 anexos e 124 documentos. Quero que leiam todos, inclusive o Deputado Jair Bolsonaro, para ver que conosco não há essa história de enganação. Agimos com transparência.
E mais: temos pundonor, isto é, zelo pela nossa honra e pela nossa reputação. É bom que todos na vida pública o tenham também.
Muito obrigado, Sr. Presidente.
DOCUMENTO A QUE SE REFERE O ORADOR