CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com reda����o final
Sessão: 049.3.53.O Hora: 09:28 Fase: BC
Orador: RODRIGO ROLLEMBERG, PSB-DF Data: 26/03/2009




O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB-DF. Pronuncia o seguinte discurso.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, écom imensa alegria que subo a esta tribuna para registrar e celebrar antecipadamente o 38º aniversário da cidade de Ceilândia. Concebida inicialmente como destino dos primeiros brasilienses, injustamente chamados de invasores, pelo simples fato de não reunirem as condições econômico-financeiras de ocupar as áreas privilegiadas do Plano Piloto e adjacências, a sigla CEI, que significava Campanha de Erradicação de Invasões, recebeu o acréscimo lândia, designador afetuoso de terra e morada.
Hoje, Ceilândia abriga aproximadamente 380.000 cidadãos e cidadãs do Distrito Federal, que constroem seu destino com trabalho e dignidade. A cidade concentra importantes atividades comerciais, como a Feira Central e a Feira do Produtor Rural. Conta também com pujante vida cultural, em que se destacam a cultura tradicional, manifesta em instituições, como a Casa do Cantador, que realiza todos os anos o Encontro Nacional dos Cantadores Repentistas, bem como a moderna cultura urbana, presente na produção dos grupos de hip-hop, entre tantos outros.
Como todas as cidades brasileiras, Ceilândia luta por melhores condições de vida: seu povo anseia por mais saúde, transporte, educação, lazer e moradia. Anseia igualmente por mais democracia. Do mesmo modo que os moradores das demais cidades do Distrito Federal, o ceilandense reclama o direito de eleger, por via direta, o administrador de sua cidade.
Em virtude disso, apresentei para a apreciação desta Casa proposta de emenda à Constituição que institui eleições diretas para os administradores regionais de todas as cidades do DF. O objetivo de minha proposta é criar as condições para que os administradores não sejam pessoas meramente nomeadas conforme a conveniência política do Governador e sim sejam lideranças comprometidas com a solução das demandas e necessidades mais fundamentais da populações.
A história do Distrito Federal não pode ser contada sem o sofrimento e as glórias dos ceilandenses. Deixo meu abraço fraternal a esses brasileiros que se orgulham de sua cidade, que ajudam a construir um Distrito Federal e um Brasil melhor para todos nós.
Muito obrigado.