CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: 029.4.54.O Hora: 17h8 Fase: GE
  Data: 25/02/2014

Sumário

Necessidade de adoção de providências pelos órgãos governamentais ante a fixação de tarifas abusivas pelas empresas aéreas.




O SR. PRESIDENTE (Inocêncio Oliveira) - Concedo a palavra ao ilustre Deputado Paulo Feijó, do Bloco PR/PTdoB/PRP do Rio de Janeiro. S.Exa. dispõe de 3 minutos na tribuna.
O SR. PAULO FEIJÓ (Bloco/PR-RJ. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Presidente, Deputado Inocêncio Oliveira, Deputados e Deputadas, eu quero fazer um registro que não é novidade para ninguém, não é novidade para nenhum Parlamentar desta Casa, porque todos passam por esse tipo de situação de exploração: a chamada farra dos preços das passagens aéreas.
Isso virou chacota em todo o País, Presidente. Não é possível que órgãos do Governo Federal responsáveis por essa área não tomem as devidas providências. Eu não sei mais a quem apelar, mas acredito que o CADE, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica, tem a obrigação de analisar e tomar uma posição firme contra essas empresas aéreas que não têm o mínimo respeito com os usuários daquele transporte.
Na quinta-feira passada, eu estava aqui em Brasília e iria para Campos, minha cidade, mas tinha que voltar ao Rio de Janeiro na sexta-feira para uma reunião emergencial. Sr. Presidente, fui comprar as passagens para sexta-feira, e a empresa estava cobrando 1.200 reais por trecho — 2.400 reais por um percurso de cerca de 280 quilômetros, um verdadeiro absurdo!
Isso, infelizmente,acontece em todo o Brasil. Todos nós, todo o povo brasileiro tem sido vítima desse abuso.
Sr. Presidente, eu faço este registro porque isso é inaceitável principalmente para o trabalhador, para o assalariado. Se o trabalhador, se o assalariado tiver que fazer uma viagem emergencial, não terá como pagar esse absurdo.
Fica aqui o registro: o CADE tem que tomar providências rigorosas em relação às empresas aéreas.


EMPRESA DE TRANSPORTE AÉREO, TARIFAS, ABUSO, PREÇO, PROVIDÊNCIA, GOVERNO FEDERAL, SOLICITAÇÃO.
oculta