CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: 029.4.54.O Hora: 20h4 Fase: OD
  Data: 25/02/2014


O SR. OTONIEL LIMA
(PRB-SP. Pronunciamento encaminhado pelo orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, policiais Federais de todo o País fazem 48 horas de paralisação, ou melhor: apagão da Polícia Federal, ou seja: agentes, escrivães e papiloscopistas externam em números concretos a queda das investigações. E ressaltam que, sem a valorização dos servidores, este número só tende a aumentar.
Valorização... Caros colegas, estou falando de servidores concursados, com ensino superior e altamente qualificados, os mesmos que passaram por um curso intensivo em uma academia de Polícia com reconhecimento internacional.
Os servidores dessa importante categoria pedem apenas o que se faz justo: a valorização da carreira e a extinção do assédio moral na instituição. De acordo com o Promotor de Justiça Criminal de São Paulo Dr. Ricardo Antonio Andreucci, o assédio moral é capaz de destruir um ser humano sem que haja uma gota de sangue sequer e sem qualquer gesto brutal contra ele, utilizando apenas o que se convencionou chamar de violência invisível, aniquilando moral e psiquicamente suas vítimas.
Sr. Leandro Daiello Coimbra, eu lhe pergunto: o que este Parlamento pode fazer para ajudar a Polícia Federal a sair desse buraco negro? Há muito tempo que não encontramos um servidor que edifique a instituição, que de fato tenha orgulho em ser Policial Federal, tamanha a desvalorização e o descaso. A realidade dos agentes, escrivães, papiloscopistas e servidores administrativos é degradante.
Novamente me coloco á disposição dos servidores do Departamento de Polícia Federal, para ajudar-lhes no que for necessário.
Exmo. Sr. Ministro da Justiça Eduardo Cardozo, peço-lhe que, por gentileza
, interceda por essa instituição tão carente de apoio e que tanto nos orgulha.