CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: 028.1.54.O Hora: 16:32 Fase: GE
Orador: SANDRO ALEX, PPS-PR Data: 01/03/2011




O
SR. PRESIDENTE (Inocêncio Oliveira) - Concedo a palavra, pela ordem, ao ilustre Deputado Romero Rodrigues, por 3 minutos.
O SR. SANDRO ALEX (Bloco/PPS-PR. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sandro Alex, Sr. Presidente.
Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, demos início hoje às reuniões da Comissão Especial de Reforma Política, da qual sou membro titular pelo Bloco Parlamentar PV/PPS.
Encomendei no meu Estado do Paraná uma pesquisa sobre esse assunto e gostaria de dividir com as senhoras e os senhores o seu resultado. A pesquisa foi feita pela
Paraná Pesquisas. Foram ouvidas mais de 800 pessoas na cidade de Curitiba.
De acordo com as entrevistas colhidas na Capital de todos os paranaenses, a proposta de mudança na forma como são feitas as eleições é de conhecimento de apenas 17% da população; 82% desconhecem que estamos discutindo essa matéria.
Fiz a seguinte pergunta: O voto deveria ser obrigatório ou opcional? Para 28% dos entrevistados, obrigatório; para 69%, opcional. Indaguei, ainda, se as pessoas compareceriam para votar, se o voto não fosse obrigatório. Sessenta e quatro por cento disseram sim e 26%, não.
Outra pergunta: O senhor (ou a senhora) é a favor ou contra a reeleição de Prefeitos, Governadores e Presidente? Opinião de Curitiba: a favor, 57%; contra, 38%.
Ainda com relação à reforma política, perguntei: No caso de um Senador se afastar do cargo para se candidatar à reeleição ou a um outro cargo, quem deveria assumir o cargo? Para 59%, o candidato que, entre os que não foram eleitos, obteve a maior quantidade de votos; para 34%, o suplente do próprio candidato.
Foi feita também esta pergunta: O senhor (ou a senhora) gostaria que fosse instituído o voto distrital no Brasil? Sim, 67%; não, 32%.
E a pergunta mais importante, que eu gostaria de trazer ao conhecimento das Sras. Deputadas e dos Srs. Deputados: O senhor (ou a senhora) concorda ou não concorda que as campanhas eleitorais sejam financiadas com recursos públicos? Concordam 11%; não concordam 86% da população de Curitiba.
Enfim, Sr. Presidente, teremos muito trabalho pela frente na Comissão Especial de Reforma Política e não podemos nos esquecer de ouvir a voz da população. Não háuma pesquisa realizada no Brasil. Isso que estou relatando é o retrato produzido por uma pesquisa que encomendei aos curitibanos, feita na Capital do Paraná. Ela deixou bem claro que o financiamento público de campanha não éaceito pela população do Brasil. Mas ainda vamos debater muito esse tema.
Obrigado, Sr. Presidente, por me dar a oportunidade de trazer este assunto ao conhecimento dos meus pares no primeiro dia de funcionamento da Comissão Especial de Reforma Política.