CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sem redação final
Sessão: 005.2.55.O Hora: 15:58 Fase: GE
Orador: MISAEL VARELLA Data: 16/02/2016




O SR. PRESIDENTE (Gilberto Nascimento) - Concedo a palavra ao Deputado Misael Varella.
O SR. MISAEL VARELLA (DEM-MG. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, a justificativa de que a volta da CPMF é a melhor opção para equilibrar a receita fiscal não convence mais o trabalhador brasileiro. O verdadeiro equilíbrio nos lares do País consiste em um basta no aumento de tributos. Reafirmo que sou contra qualquer elevação em nossa carga tributária, pois écontraditório que o povo e as indústrias, os grandes motores de nossa economia, carreguem o peso maior da crise econômica.
Para ilustrar melhor o impacto que o aumento da carga tributária pode gerar para o brasileiro, trago dados que o jornal O Tempo divulgou nessa quarta-feira, referentes ao levantamento do IBGE sobre o desempenho da indústria em 2015. Nele, com exceção das indústrias extrativas, o restante dos setores da atividade industrial no País contabilizaram recuo na produção. No geral, a produção industrial brasileira teve recuo de 8,3% no ano passado, o pior resultado de toda a série histórica, iniciada em 2003.
Insisto que é contraditório jogar o peso da crise sobre o trabalhador e as indústrias, esperanças de reação da nossa economia. Se, em vez de fomentarmos o crescimento industrial com crédito e redução de impostos, iniciarmos um movimento de maior tributação em tudo o que é produzido no País, temo que os reflexos da crise possam pesar cada vez mais no bolso do brasileiro.
Peço que meu discurso seja divulgado em A Voz do Brasile nos meios de comunicação desta Casa.
Tenho dito.