CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sem supervisão
Sessão: 260.2.55.O Hora: 11h12 Fase: BC
  Data: 18/10/2016

Sumário

Transcurso do Dia do Médico. Descrença da formação médica dos cubanos participantes do Programa Mais Médicos e do propósito divulgado do Programa. Preocupação do orador com a situação do Colégio Pedro II, no Estado do Rio de Janeiro.



O SR. PRESIDENTE (Delegado Edson Moreira) - Com a palavra o Deputado Roberto de Lucena. (Pausa.)
Com a palavra o Deputado Juscelino Filho. (Pausa.)
Com a palavra o Deputado Carlos Henrique Gaguim. (Pausa.)
Com a palavra o Deputado Betinho Gomes. (Pausa.)
Com a palavra o Deputado Lobbe Neto. (Pausa.)
Com a palavra a Deputada Júlia Marinho. (Pausa.)
Com a palavra o Deputado Jair Bolsonaro, por 1 minuto.
O SR. JAIR BOLSONARO (Bloco/PSC-RJ. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, a minha formação é militar, mas eu queria cumprimentar os médicos pelo seu dia e, no que depender de mim, no futuro, podem ter certeza de que vocês serão reconhecidos.
Primeiramente, mandando de volta para Cuba esses 12 mil que estão aqui, pois não temos qualquer garantia de que, efetivamente, conhecem minimamente a medicina.

Afinal de contas, éum programa para enviar anualmente 1,3 bilhão reais para continuar financiando a ditadura cubana, cujo governo não respeita aquilo que tanto afirma defender: os direitos humanos. Estão aqui os médicos, mas seus familiares, esposas, esposos e filhos são reféns naquela ilha.
Gostaria muito que eles fossem submetidos ao Revalida. Sei que não existe, mas que seja até um Revalida light, para confirmar ou não se eles sabem um mínimo de medicina. Na verdade, não sabem absolutamente nada! Tivemos informações concretas há pouco tempo que havia entre eles um capitão cubano. Infelizmente, seguindo a linha da esquerda aqui no Brasil, o então Ministro Jaques Wagner informou à imprensa que era um capitão cubano que havia pedido demissão. Não é verdade. É uma mentira! Nós estamos com esse problema aqui. Há 12 mil no País, que no meu entender, em sua maioria, são agentes e militares cubanos a serviço ainda do governo que estava no poder até há pouco tempo.
No meu entender é necessária a valorização da classe dos médicos. Esses recursos, mais de cem milhões de reais por mês, que gastamos para financiar a ditadura cubana, poderiam ser aplicados na medicina em nosso País.
Sr. Presidente, neste 1 minuto que me resta, aproveito para cumprimentar o Deputado Sóstenes Cavalcante, que tocou em um assunto extremamente grave. Não é uma exceção, Sóstenes. Éum balão de ensaio o que estão fazendo no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, totalmente tomado por marginais do MST.
Nós conhecemos a máxima de Lênin de que não se tome quartéis, mas sim escolas. Agora, eles estão mostrando realmente a que vieram. Estão ocupando escolas. Dentro da escola um verdadeiro bunker, promovendo o desrespeito à instituição, à família com relação à ideologia de gênero.

Não é apenas, como o Deputado Sóstenes Cavalcante bem disse aqui, a questão de meninos ocuparem banheiros, mas também vestiários, um crime que fazem contra a inocência das criancinhas em sala de aula. Afinal de contas, isso é PT, o partido da balbúrdia, o partido da corrupção, o partido que se caracterizou com tudo que éruim em nosso País. Isso tem que mudar.
Se Deus quiser, brevemente farei uma visita ao Colégio Pedro II.
Obrigado, Sr. Presidente.


DIA DO MÉDICO, HOMENAGEM. PROGRAMA MAIS MÉDICOS, PARTICIPAÇÃO, CUBA, FORMAÇÃO ACADÊMICA, APREENSÃO. MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM-TERRA (MST), INVASÃO, COLÉGIO PEDRO II (CPII), APREENSÃO.
oculta