• Deputado Arthur Lira (PP-AL): "É um dia histórico para o Parlamento. Com o enfrentamento da questão, o Brasil se somará a outros que se debruçaram sobre ela e encontraram, na medida das possibilidades, a melhor solução."
  • Deputado Paulo Teixeira (PT-SP): "Se o Parlamento se negar a aprovar este projeto de lei – e eu não acredito que o fará – concederá ao Poder Judiciário a solução do problema dos medicamentos à base de Cannabis."
  • Deputado Eduardo Costa (PTB-PA): "Nós temos que lembrar a verdadeira razão desse projeto: são os pacientes, são os familiares, são aqueles que necessitam, todo mês, correr atrás de medicamentos que tem um preço proibitivo."
  • Deputado Osmar Terra (MDB-RS): "Cannabis medicinal não existe. Provoca muito mais danos do que benefícios, causa danos permanentes no cérebro. Quem tem filho com problema de uso continuado sabe o que estou dizendo."
  • Deputado Luciano Ducci (PSB-PR): "É uma desonestidade intelectual ao máximo, que tenta confundir as pessoas, dizer que o projeto pretende liberar as drogas, que pretende liberar a maconha no Brasil. Isso é uma grande mentira."
  • Deputado Diego Garcia (Podemos-PR): "Famílias estão neste momento, de forma maldosa, sendo usadas de má-fé neste debate, sob o pretexto de que o projeto vai simplesmente autorizar o uso medicinal, e isso não é verdade."
  • Deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ): "Estamos discutindo como reduzir o custo e ampliar o acesso. É uma produção com tecnologia existente no Brasil. Não cabe ao Parlamento dizer para quais doenças os medicamentos são indicados."
  • Deputado Pastor Marcos Feliciano (Republicanos-PR): "As pessoas poderão começar a usar de maneira irrestrita, até porque, já que é medicinal, faz bem para a saúde, quando não é nada disso. Querem transformar o Brasil numa zumbilândia.”
  • Deputada Sâmia Bomfim (Psol-SP): "Querem convencer a sociedade de que não é um debate a favor da família. É um debate a favor da qualidade de vida, pelo tratamento de doenças como Alzheimer, câncer, epilepsia e outras."
  • Deputado Eros Biondini (Pros-MG): "O canabidiol é regulamentado pela Anvisa em duas resoluções, disponibilizado nas farmácias e, em breve, fornecido gratuitamente pelo SUS. Já ficou claro que o projeto não tem fundamento."
  • Deputado Alex Manente (Cidadania-SP): "Não estamos falando da legalização da maconha, mas de uma regulamentação para ter Cannabis medicinal a preço acessível. Não há outra maneira de baratear o acesso à população."
  • Deputado Eli Borges (Solidariedade-TO): " Se 100 metros quadrados resolvem o problema de 14 mil pacientes, o estádio do Maracanã daria para atender 999 mil pessoas. Por que tenho que liberar o plantio da Cannabis no Brasil?"
  • Deputado Ricardo Izar (PP-SP): "Eu luto contra a doença de Parkinson há dez anos. Já experimentei o canabidiol. Nas vezes em que usei esse medicamento, a qualidade do meu sono e os tremores melhoraram muito."
  • Deputado Francisco Jr. (PSD-GO): "O projeto do deputado Fábio Mitidieri tentava resolver o problema de quem precisa do remédio com apenas dois artigos. Foi substituído por outro, com 60 artigos, que vai muito além."
  • Deputado João Campos (Republicanos-GO): "As frentes parlamentares católica e evangélica estão dialogando com o governo para colocar essa medicação gratuitamente. Acredito nós vamos conseguir isso, e esse projeto perderá o objeto."
  • Deputada Caroline de Toni (PSL-SC): "Não é novidade para ninguém que a esquerda quer não só descriminalizar as drogas, como liberar as drogas no Brasil. Ninguém é contra o medicamento, não queremos é esse cavalo de Troia."