Afinal, quem foi eleito?

Entender o resultado da eleição para a Câmara dos Deputados não é fácil, porque os números não são exatos. Depois da primeira distribuição de vagas, sempre há "sobras" que são distribuídas em um cálculo posterior. Veja o exemplo de um estado que tenha 100 mil votos e dez vagas na Câmara dos Deputados

Quociente Eleitoral é o número de votos válidos (voto em candidato e na legenda) divididos pelo número de vagas a que determinado estado tem direito na Câmara. No caso acima:
100 mil ÷ 10 = 10 mil

Quociente Partidário é o número de votos de cada partido dividido pelo Quociente Eleitoral. Indica quantas vagas cada partido tem direito, desprezada a fração.

Quociente Partidário

Veja que candidatos seriam eleitos pelo Quociente Partidário na eleição acima
A cláusula de barreira individual impede a eleição de candidatos que não tenham conseguido sozinhos um número de votos equivalente a 10% do Quociente Eleitoral. Na eleição acima, nenhum dos eleitos teve menos de 1.000 votos – ninguém foi excluído.

8 vagas foram preenchidas pelo Quociente Partidário.
Como este estado tem direito a 10 deputados e só 8 estão eleitos, 2 vagas serão distribuídas pelas sobras.

Calcule os eleitos pelas sobras:

O número de vagas que serão preenchidas pelas “sobras” corresponde ao número de rodadas da etapa a seguir.

Em cada rodada, divida o número total de votos válidos que o partido obteve pelo número de cadeiras que ele obteve na rodada anterior +1. O partido que apresentar o resultado maior leva a cadeira. Repete-se o procedimento enquanto houver cadeiras a distribuir.

  • Quem fica com a primeira vaga das sobras é:
  • Quem fica com a segunda vaga das sobras é
  • O partido que seria excluído por essa regra é:
  • Essa exigência interfere nos resultados calculados acima?