CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 53.2022 Hora: 14:08 Fase: EN
Orador: LUIZ LIMA, PL-RJ Data: 05/05/2022

 
DISCURSO NA ÍNTEGRA ENCAMINHADO PELO SR. DEPUTADO LUIZ LIMA.

Sr. Presidente, Srs. e Srs. Deputados, hoje gostaria de destacar mais um forte indicativo da retomada econômica do País e que nos dá uma grande esperança em relação ao nosso futuro.
Nesta semana foi divulgado que o Brasil registrou, em março, um consumo de energia recorde, com o maior índice já registrado na medição da Empresa de Pesquisa Energética - EPE. O levantamento é feito pelo órgão federal desde 2004.
Em março, foram consumidos 44.101 gigawatts-hora, o que representa um aumento geral de 1,6% em relação ao mesmo período do ano passado.
O levantamento registrou crescimento nos dois itens analisados, que compõem o consumo total: 0,8% no mercado cativo, do consumidor regulado comum, e de 3% no mercado livre, no qual geradores e distribuidores negociam diretamente com os consumidores.
Isso tudo segue em linha com as previsões do Ministério da Economia.
O resultado do PIB - Produto Interno Bruto em 2021 mostra que o Brasil registrou uma retomada em V após a pandemia de COVID-19, já disse a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, ao avaliar que a atividade em 2022 deve crescer mais do que o projetado atualmente pelo mercado.
Em nota informativa, a Pasta afirmou que a variação do PIB brasileiro acumulado no período de 2020 e 2021 foi maior do que o de todos os países do G-7, exceto os Estados Unidos.
Nesta sexta-feira, o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística informou que o PIB do Brasil cresceu 4,6% em 2021, a maior taxa desde 2010, recuperando as perdas da pandemia de COVID-19.
O documento destacou que a economia do País se recuperou mesmo em meio a uma série de choques adversos globais e locais.
Além da pandemia e dos gargalos no fornecimento de algumas cadeias globais de produção, que afetaram negativamente o crescimento econômico mundial, o Brasil ainda se defrontou com dois outros choques negativos de oferta: a maior crise hídrica em quase 100 anos e o revés climático que afetou diferentes segmentos do setor agropecuário.
Vamos com tudo! Forte abraço.