CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 33.2021.N Hora: 14:28 Fase: OD
Orador: TALÍRIA PETRONE, PSOL-RJ Data: 17/12/2021

 A SRA. TALÍRIA PETRONE (PSOL - RJ. Como Líder. Sem revisão da oradora.) - Eu peço licença para tratar de um assunto que não tem nada a ver com o debate sobre o Fundo Partidário - depois, até queria falar sobre isso. Provavelmente esta sessão é a última em que estou na Liderança do meu partido.
Quero então agradecer a confiança da minha bancada neste ano tão dramático, em que estive à frente do Partido Socialismo e Liberdade. Quero agradecer à nossa assessoria, que é fundamental para o trabalho da nossa combativa bancada, trabalho que se soma ao dos servidores e também dos terceirizados desta Casa, que fazem com que a vida neste plenário aconteça.
Está sendo um ano muito duro para os brasileiros, um ano em que a fome, infelizmente, volta como algo central no Brasil. Há 20 milhões de famintos no País, metade da população está vivendo sob insegurança alimentar. Há mais de 14 milhões de desempregados, fora aqueles que não têm mais dinheiro para pegar um ônibus para arranjar emprego. E a maior crise sanitária que já vivemos foi enfrentada pelo Governo Bolsonaro com negacionismo, com ataques à ciência. Lamentavelmente, minimizou a morte de mais de 600 mil brasileiros.
Este Governo, infelizmente, é um destruidor da natureza, e teve apoio dentro desta Casa, que, aliás, tem sido neste ano o principal instrumento de sustentação de Bolsonaro e do bolsonarismo. Ela aprovou aqui a matéria sobre licenciamento ambiental, o PL da Grilagem, pautas que, lamentavelmente, atacam os povos e comunidades tradicionais.
Este foi um ano desafiador! Foi um ano, Deputados e Deputadas, em que a lógica golpista, a lógica de destruição dos direitos e, ao mesmo tempo, de alargamento do Estado penal e policial, prevaleceu. Mais de 30 atos normativos foram estabelecidos para liberar armas e para haver menos controle sobre munições.
O cenário é muito duro! Mas a nossa bancada - tenho muito orgulho de fazer parte dessa bancada e de tê-la liderado neste ano - é composta, em sua maioria, por mulheres, por pessoas negras, cujo percentual é de quase 50%, por socialistas que entendem que este lugar é de fortalecimento da luta das trabalhadoras e dos trabalhadores brasileiros.
Não tenho dúvida de que a situação está dura, está dramática! Mais do que Parlamentares, somos militantes desta vida e temos o sonho de mudar o sistema. Entendemos que o capitalismo é duro para o nosso povo, que sofre em decorrência da austeridade, das políticas econômicas que desmontaram a Previdência, que desmontaram o direito ao trabalho, mas sabemos que estamos fazendo a travessia.
Eu queria concluir dizendo isto. A realidade está dura, está dramática, existem milhares de mães brasileiras na fila para conseguir uma carcaça de frango, existem corpos negros que são vítimas de balas de fuzil do Estado, existem vítimas da fome, pessoas ficaram desesperadas, na fila do SUS, para conseguir oxigênio durante a pandemia, mas não tenho dúvida de que estamos fazendo a travessia.
Ano que vem é um ano em que o Partido Socialismo e Liberdade vai se somar a uma série de outros companheiros e companheiras para derrubar Bolsonaro, para encerrar esse ciclo de morte, destruição, de dor que está chegando às famílias brasileiras. Estamos virando o jogo, e ali na frente, logo ali na esquina, junto com trabalhadoras e trabalhadores, nós vamos reconstruir o Brasil. É do povo que vai vir o enfrentamento à fome, à tragédia que está chegando às famílias brasileiras.
A nossa bancada e o nosso partido, que eu tenho muito orgulho de construir - e concluo, Deputado Guimarães -, vão estar ao lado do povo para derrubar Bolsonaro e para devolver o Brasil para as maiorias.