CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 323.2019 Hora: 16:44 Fase:
Orador: Data: 16/10/2019

 O SR. PAULO RAMOS (PDT - RJ. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, estava vendo nos jornais a comemoração do Governo tendo em vista a aprovação, pelo Senado, da divisão da gorjeta em relação à cessão onerosa. Trata-se de uma gorjeta: 26 bilhões de reais para serem divididos entre todas as Unidades da Federação e todos os Municípios.
E a comemoração se dá porque havia um impasse no Senado que precisava ser superado com a votação dessa questão, tendo em vista as divergências entre as diversas Unidades da Federação, de modo a abrir espaço para a conclusão, a consumação de um crime: a reforma da Previdência, que tanto penalizou e que vai penalizar ainda muito mais os trabalhadores de baixa renda.
Aliás, a reforma trabalhista já está oferecendo os seus resultados. O Governo brasileiro já começa a admitir, de forma acentuada, a influência do Fundo Monetário Internacional - FMI e do Banco Mundial, banco que quer a reforma administrativa, quer penalizar servidores. Os trabalhadores da iniciativa privada já estão comendo o pão que o diabo amassou. Querem agora alcançar aquela parcela menor, a do serviço público, com o achatamento salarial, com a perda de direitos - a estabilidade, por exemplo. Não querem resgatar aqueles que ganham menos, fazendo-os ganhar mais. Não, querem suprimir direitos dos que ganham mais.
Tomei conhecimento de que agora vai haver a privatização também da Casa da Moeda. São crimes de lesa-pátria a entrega do petróleo da camada do pré-sal, a divulgação de privatização dos Correios e Telégrafos e da ELETROBRAS - a privatização desta agora ficou para o final do Governo, segundo eles dizem - e a disputa em relação à água.
Sr. Presidente, o Governo que aí está não tem nenhum compromisso com a soberania nacional, não tem nenhum compromisso com a classe trabalhadora, não tem nenhum compromisso com a prestação de serviços públicos de boa qualidade. É um Governo que caminha se submetendo à liderança maior que vem lá dos Estados Unidos, com Donald Trump.
Vamos ver que eles não vencerão, não prosperarão.