CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 277.2018 Hora: 9h32 Fase:
  Data: 20/12/2018

Sumário

Relato da visita de missão oficial de membros do Parlamento brasileiro à República Democrática Popular da Coreia do Norte.

 A SRA. JÔ MORAES (PCdoB - MG. Sem revisão da oradora.) - Obrigada, caro Deputado Geraldo Resende, que, neste momento, preside os trabalhos desta Casa.
Eu queria hoje trazer uma prestação de contas de uma missão oficial que uma delegação do Congresso Nacional, da Câmara e do Senado Federal fez à República Democrática Popular da Coreia. Esse foi o segundo contato que o Congresso do Brasil fez. No mês de abril do presente ano, o Senador Collor e o Senador Pedro Chaves estiveram na República Popular Democrática da Coreia, num momento muito importante, em que houve o encontro dos Presidentes dos dois países, Kim Jong-un e Moon Jae-in, respectivamente Presidentes da República Popular Democrática da Coreia e da República da Coreia, que é a Coreia do Sul.
Este é um momento muito importante para acabarmos com os preconceitos da ofensiva americana contra um povo que tem uma história de construção de unidade. Refiro-me ao povo da península coreana. Pelas circunstâncias geopolíticas e disputas mundiais, esse povo está dividido. São dois sistemas, são dois processos políticos em desenvolvimento, mas o povo coreano quer estar junto, o povo coreano tanto do sul quanto do norte quer a reunificação.
O encontro de cúpula realizado em abril de 2018, ao qual compareceram os dois Senadores, demonstrou que a paz é o objetivo central daqueles que são os verdadeiros donos da península coreana.
Trago, em primeiro lugar, a minha impressão sobre a importância deste novo momento de construção, de reunificação, de clima de paz. Nós visitamos a zona desmilitarizada. Nós estivemos na sala onde foi assinado o armistício de 1953 - do lado da Coreia do Sul, compareceu a ONU; do lado da Coreia do Norte, compareceu o então Presidente Kim II-sung.
Na minha percepção da visita às autoridades da República Popular Democrática da Coreia, compreendi que a aproximação com o Brasil tem um objetivo muito claro: a busca por cooperação tecnológica e científica, particularmente no terreno da agropecuária. Nós escutamos de alguns dirigentes da República Popular Democrática da Coreia que eles estão muito bem impressionados com os tratores do Brasil, caro Deputado Geraldo. Eles têm interesse nesse processo de desenvolvimento, a fim de estabelecer uma cooperação, uma parceria.
Quero dizer que isso se deve ao crescimento da diplomacia parlamentar que a Câmara dos Deputados, nas recentes direções, pode desenvolver, estimulada pelos nossos Presidentes da Casa e pelos Diretores do setor de relações internacionais. Por que eu digo isso? Porque o preconceito que existia e que o novo Presidente eleito tenta retomar já era algo superado. Inúmeros grupos de amizade entre o Parlamento do Brasil e o Parlamento de vários outros países ajudaram a construir cooperação técnica, cultural e política.
Por isso, nós trazemos aqui uma visão da República Popular Democrática da Coreia, que é uma visão em busca da paz para a península coreana, com base na autonomia e na reunificação dos povos da Coreia do Sul e da Coreia do Norte, respeitados os sistemas. Há diferenças nos sistemas políticos. O sistema da Coreia do Sul é muito diferente do sistema político da Coreia do Norte. Mas eles estão buscando essa reunificação.
A Coreia do Norte enfrentou dificuldades quando, numa guerra absurda, recebeu 600 mil bombas americanas sobre o seu solo - é praticamente o número de habitantes de Pyongyang. Neste momento, eles concentram toda a sua preocupação, primeiro, na defesa da soberania militar; segundo, na reunificação política; e, terceiro, em assegurar alimento para o seu povo.
Quero dar os parabéns aos que estão buscando essa cooperação de paz!
Sr. Presidente, peço a V.Exa. que o meu pronunciamento seja divulgado nos meios de comunicação da Casa e no programa A Voz do Brasil.


PRESTAÇÃO DE CONTAS, MISSÃO OFICIAL, DELEGAÇÃO, CONGRESSO NACIONAL, COREIA DO NORTE.
oculta