CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 110.2020 Hora: 14h4 Fase:
  Data: 09/09/2020

Sumário

Atuação do orador em defesa da saúde nos últimos 30 anos. Criação da Frente Parlamentar Mista em Defesa das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde e da Felicidade, a chamada Frente Holística. Importância da fitoterapia para a prevenção e combate a doenças. Ineficácia do isolamento social como medida de combate ao coronavírus. Defesa da utilização da acupuntura, da homeopatia e da ozonioterapia no tratamento da Covid-19. Decepção mundial com a anunciada vacina contra a doença.

 O SR. GIOVANI CHERINI (Bloco/PL - RS. Como Líder. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, eu venho me dedicando, nos últimos 30 anos, à saúde. Eu também me preparo para isso. Comecei, primeiramente, com o curso de Programação Neurolinguística - PNL, depois fiz outros cursos, tais como: meditação, ontopsicologia, Reiki, constelação familiar, biodança, parapsicologia, terapia holística. Também fiz pós-graduação em saúde pública e meio ambiente, recebi o título de Doutor Honoris Causa, pela Universidade Albert Schweitzer, da Flórida, nos Estados Unidos.
Então, nos últimos 30 anos, venho me dedicando diuturnamente a esse assunto e sempre tenho feito críticas ao sistema brasileiro, ao sistema ocidental, que adotou a linha da doença, e não a linha da saúde. A linha da doença deixa o povo cada vez mais doente, e assim milhões são gastos em remédio - remédio que não cura, remédio que remedia, como o próprio nome já diz.
Criei a Frente Parlamentar Mista em Defesa das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde e da Felicidade, a Frente Holística. Trabalho com essa Frente Parlamentar praticamente 100% do meu tempo, dedicando-me a tentar mudar e a dar outro olhar para a saúde em nosso País.
Aliás, eu sempre digo que o Ministério da Saúde, as secretarias estaduais e as secretarias municipais de saúde deveriam ser chamadas de "secretarias da doença". Até acho que deveria haver uma separação como a que é feita na Índia, onde há a secretaria da ioga, a secretaria da felicidade e a secretaria da doença, a que de fato cuida dos doentes. E isso também é necessário neste País.
No Brasil, hoje, cada cidadão brasileiro a partir dos 65 anos de idade toma, em média, cinco remédios. Nós temos aqui, no Rio Grande do Sul, um Município que é símbolo disso. O Município de Frederico Westphalen tem 32 mil habitantes e 26 farmácias. Não sou contra a existência de farmácias, mas eu gostaria que houvesse mais farmácias vivas, farmácias fitoterápicas, farmácias que vendessem produtos que não tivessem tanta contraindicação de uso para as pessoas.
Hoje estamos numa pandemia, e a desinformação está matando mais do que o próprio vírus. E o pior de tudo é o preconceito. Quando eu defendo a ioga, a homeopatia, a fitoterapia, a acupuntura, a quiropraxia, a ozonioterapia para animais e a ozonioterapia para seres humanos, os florais, a massoterapia - eu também sou massoterapeuta -, a meditação e tantas outras práticas complementares de saúde, na realidade, o que estou querendo é mudar o olhar para a saúde.
O Brasil gasta 0,08% do Orçamento em prevenção, mas gasta 180 bilhões, mais de 500 milhões por dia, em tratamento de doenças. Vejam bem, nós deveríamos tratar as pessoas antes disso, com práticas integrativas e complementares, na busca da espiritualidade, como é a medicina oriental. Eu defendo a medicina oriental, que é a medicina filosófica, holística, espiritual, e não a nossa medicina, que é atomista, baseada no físico, baseada no corpo e por partes. Nós separamos tudo, esquartejamos as pessoas. A pessoa vai ao médico que trata de estômago e recebe a orientação para tomar um remédio para o estômago, mas acaba prejudicando o coração. A nossa medicina fez a sua parte, mas temos de ter a coragem de, numa pandemia, mudar esse olhar, até porque a medicina vive muitas incertezas - e vive de incertezas -, e as doenças vêm antes dos remédios.
Agora, na pandemia, parece que o remédio teria de vir antes da doença, porque está todo mundo esperando o remédio cientificamente comprovado, com estudo duplo-cego. Eu nunca vi um negócio desses!
O remédio tem que ser experimentado. O que vale hoje é a experiência clínica, o autocuidado e a imunidade das pessoas. Então, nós precisamos tentar tirar proveito do que nós estamos passando.
E há outra coisa: desde o começo da pandemia, eu sempre questionei os Prefeitos e os Governadores que fecharam tudo. Fecharam comércio, fecharam indústria, fecharam o que era o ganha-pão das pessoas e desempregaram milhares de brasileiros. Agora alguns colegas vêm reclamar do alastramento da pobreza, sendo que eles mesmos defenderam a OMS. Aliás, para mim, a OMS é a organização mundial dos sem noção, haja vista o tanto que mentiram. Mas, infelizmente, eles são os poderosos. E nós somos censurados, se falarmos alguma coisa diferente. Imaginem se eu dissesse que do soro feito a partir do plasma de cavalo poderia sair uma vacina! "Meu Deus do céu, Giovani Cherini é louco, esse cara é doido." Eu defendi a ozonioterapia, e me taxaram de doido. Em todos os hospitais de Portugal, há uma central de ozônio. O ozônio é liberado no Brasil e no mundo, é só utilizá-lo, e é barato. Mas quem manda aqui são os laboratórios. Os laboratórios mandam nas faculdades de medicina; os laboratórios mandam muitas e muitas vezes na imprensa; os laboratórios mandam no nosso Parlamento - inclusive, muitos são eleitos por eles, nos nossos Parlamentos infelizmente.
Nós vimos as imagens do Rio de Janeiro no final de semana. E estão dizendo que o Rio de Janeiro vai estar todo infectado nos próximos dias, porque ninguém usava máscara e estava todo mundo na rua. Se não isso não acontecer, é porque os Prefeitos e Governadores erraram. Não há comprovação científica para se dizer que o isolamento social é a solução para esse problema. Aliás, a maioria dos políticos é de uma nota só. Político de uma nota só deve ir para casa, morrer em casa.
Vamos experimentar sim o tratamento precoce. Vamos experimentar sim os fármacos que nós temos, mas vamos melhorar. A acupuntura pode ajudar, a homeopatia pode ajudar, a ozonioterapia pode ajudar. Por que não? Por que o preconceito? Ou as pessoas querem que haja uma mortandade incrível? A maior parte das pessoas que morreram tomavam muito remédio no seu dia a dia. As pessoas tomam remédio para tudo: remédio para dormir; remédio para acordar. Precisamos reforçar a ideia daquilo que eu sempre digo: a imunidade. Deveria haver um teste de imunidade das pessoas. É preciso beber mais água, alimentar-se melhor, ter educação para a saúde, dormir melhor, ter menos estresse, fazer mais exercício físico. Tudo isso tem que fazer parte da vida, isso é saúde, e não o remédio. Vamos deixar o remédio para depois, quando a pessoa estiver doente.
E agora vem a decepção da vacina, que todo mundo está esperando. Leva-se 10 anos para sair uma vacina. E todo mundo vendendo essa ideia, mentindo para as pessoas, iludindo a população brasileira. Eu também gostaria que houvesse uma vacina, amanhã, se possível. Como todo mundo sabe, a vacina contra o ebola levou 13 anos para ser produzida, a maioria das vacinas leva 5 anos para entrar em produção. E a vacina contra a AIDS não existe, por quê? Porque é um vírus parecido com esse SARS-COV-2, que, nesta semana, é azul, na semana que vem, é vermelho, na outra semana, é rosa. Ele se modifica. Que vacina haverá? Então vamos experimentar os fármacos, mas, antes disso, vamos melhorar a imunidade da população e o bom senso.
O meu sonho, Sr. Presidente, é que um dia os nossos agentes de saúde do Brasil virem terapeutas, fitoterapeutas, ou trabalhem com meditação, com ioga ou com massoterapia.
O meu sonho é que cada posto de saúde tenha uma cozinha para ensinar as pessoas a fazer comida e estimulá-las a beber mais água, que cada posto de saúde deste País tenha à disposição das pessoas ioga, homeopatia, fitoterapia, acupuntura, quiropraxia, central de ozônio, florais, massoterapia, meditação. Isso é a verdadeira saúde. É essa a saúde que eu defendo. É essa saúde que eu quero para o meu País. Eu quero a saúde oriental que valoriza o espiritual e o holístico, o ser humano como um todo. É dessa humanização que precisamos agora e depois da pandemia. Vamos sonhar e imaginar essa grande utopia. Aí, quem sabe, os laboratórios vão diminuir os seus lucros e os hospitais vão ficar vazios. Esse é o caminho. O sonho é o hospital vazio e as pessoas em casa, com saúde e passando de 100 anos de idade.
Sr. Presidente, eu sou um sonhador, por isso estou na política, levando esperança para o nosso povo brasileiro, especialmente para o povo gaúcho.
Muito obrigado. Receba meu abraço e até a próxima oportunidade.


GIOVANI CHERINI, DEPUTADO FEDERAL, ATUAÇÃO PARLAMENTAR, FRENTE PARLAMENTAR MISTA EM DEFESA DAS PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES EM SAÚDE E DA FELICIDADE (FRENTE HOLÍSTICA), SAÚDE PÚBLICA, MINISTÉRIO DA SAÚDE, FREDERICO WESTPHALEN (RS), FARMÁCIA, MEDICAMENTO, TRATAMENTO DE SAÚDE, MEDICINA PREVENTIVA E SOCIAL, RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS, PANDEMIA, CORONAVÍRUS, CRÍTICA, ISOLAMENTO (SAÚDE), GOVERNADOR, PREFEITO, FECHAMENTO, COMÉRCIO, ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS), VACINA, OZONIOTERAPIA, LABORATÓRIO, IMUNIDADE (SAÚDE).
oculta