CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 100.2020 Hora: 19h28 Fase:
  Data: 05/08/2020

Sumário

Solidariedade ao Presidente em exercício dos trabalhos, Deputado Isnaldo Bulhões Jr., pelo falecimento do seu genitor Isnaldo Bulhões em decorrência da Covid-19. Agradecimento a Deus pela recuperação da saúde do orador, diante da contaminação por coronavírus. Agradecimento a Parlamentares e correligionários pelas mensagens encaminhadas ao orador. Solidariedade aos familiares das vítimas da Covid-19.

 O SR. SÓSTENES CAVALCANTE (Bloco/DEM - RJ. Como Líder. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Deputado Isnaldo Bulhões Jr., inicio meu pronunciamento cumprimentando-o e me solidarizando com V.Exa. e sua família pela triste experiência recente da partida do seu pai por conta desta pandemia da COVID-19, que assola nosso País e o mundo.
Nobres colegas Parlamentares, Deputadas e Deputados, todos os brasileiros e brasileiras que nos assistem pela TV Câmara e nos ouvem pela Rádio Câmara ou através das redes sociais, venho à tribuna neste dia inicialmente para agradecer a Deus pela minha vida.
Creio que a ampla maioria dos colegas puderam acompanhar: eu sou uma das tantas milhares ou milhões de vítimas da COVID-19 e adquiri de maneira grave o vírus. Fiquei 11 dias na UTI. Passei por essa experiência. Eu, especialmente, nunca tinha passado por nenhuma internação. Eu nunca sequer quebrei um dedo. Fiquei um período um pouco longo em um leito de UTI em um momento como este, em que você, por causa da COVID-19, nem sequer pode ter um acompanhante. Eu fui um felizardo de ter minha irmã por perto. Ela é médica, já tinha adquirido a COVID-19 e, portanto, pôde me acompanhar nesses dias. Sou muito grato a ela.
Mas eu queria inicialmente agradecer a Deus pela vida, porque tenho convicção de que fui muito bem atendido no hospital onde estive internado. Os médicos e toda a equipe multidisciplinar - enfermeiros, fisioterapeutas e nutricionistas - que ali me acompanharam fizeram um excelente trabalho e conseguiram reverter o meu quadro. Em alguns momentos, pensava que não ia resistir e ia morrer.
Faço este pronunciamento não para assustar aqueles que nos assistem, mas para falar da realidade do vírus. Em alguns casos, como no meu caso, no caso de minha esposa e no de meus dois filhos, contrai-se o vírus simultaneamente. Graças a Deus, a minha esposa ficou assintomática, e os meus filhos tiveram sintomas muito leves.
Assim como o Deputado Isnaldo, que ora nos preside aqui - S.Exa. passou por experiências como essa em sua família -, muitos de nós Parlamentares passamos por isso, e as famílias brasileiras estão enfrentando essa realidade.
Quero dizer da minha grata satisfação. No período que ali fiquei, foram dias difíceis. Entretanto, havia a solidariedade de tanta gente, com orações, com preces de diferentes credos religiosos. Eu quero agradecer a esses meus amigos, às pessoas que nos admiram e que pediram a Deus por mim. Eu tenho certeza de que, quando me faltaram forças físicas para lutar pela sobrevivência, algo sobrenatural acontecia. Para quem crê - nem todo mundo crê, mas eu acredito -, Deus interveio e me deu novamente a oportunidade de estar aqui hoje. Esta é a primeira semana em que volto a Brasília, depois da minha alta total, para compartilhar este pronunciamento na tribuna da Câmara dos Deputados.
Então, quero agradecer aos milhares de amigos no Brasil, em vários Estados, e de fora do Brasil, que mandaram mensagens solidarizando-se.
Quero também ser muito justo com os colegas aqui da Câmara dos Deputados, a bancada do Estado do Rio de Janeiro - está ali o Deputado Paulo, um dos Deputados do Rio que foi muito solidário comigo -, a Frente Parlamentar Evangélica do Congresso Nacional, o meu partido, o Presidente Rodrigo Maia e tantos outros colegas de todos os partidos.
Todos sabem do meu posicionamento ideológico, de um político conservador, mais à direita. Temos aqui, de vez em quando, alguns embates com colegas de partidos da Esquerda, mas sempre procurei fazer esses embates com muito respeito e no campo ideológico, nunca partindo para o ataque pessoal, porque entendo que o Parlamento é a boa convivência de todos, e aqui estão aqueles que pensam diferente para buscarmos o melhor para o nosso País. E, para minha surpresa - minha assessoria ligava para minha irmã, que me acompanhou alguns dias em que eu lá estava; na maioria dos dias, ela esteve comigo -, por minha irmã, eu fiquei sabendo de telefonemas de vários colegas de partidos da Esquerda, como a Deputada Maria do Rosário, do PT, a Deputada Jandira Feghali, do PCdoB, o próprio Deputado Marcelo Freixo, do PSOL, o ex-Presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, do Partido dos Trabalhadores, e tantos outros. Não quero ser injusto com os outros colegas, mas vários outros ligaram também. E, assim, entre tantas informações que eu recebia, o carinho, a fé e a torcida de alguns colegas da Esquerda motivaram-me muito a lutar pela vida.
Eu considero hoje um dia, para mim, pessoalmente, de vitória, por estar voltando a esta tribuna, porque eu poderia ser um dos tantos números de vítimas fatais. Deus me deu a oportunidade de estar aqui me pronunciando.
Então, quero prestar aqui minha solidariedade às famílias enlutadas, na figura do Presidente, que é de uma das milhares de famílias no Brasil enlutadas, e também àqueles que atravessam a COVID neste momento. A todos, a nossa solidariedade! Àqueles que enfrentam a doença, tenham fé! Peço a Deus que proteja as famílias dos brasileiros; que esse maldito vírus não chegue a casa e à vida daqueles que ainda não pegaram o vírus; que, caso chegue, cause sintomas leves ou nem cause sintomas, porque o sofrimento de quem o pega de forma grave, como eu e tantos outros pegamos, é realmente algo que surpreende inclusive a classe médica.
Aqui fica a minha solidariedade e a minha gratidão a todos, a gratidão a esta Casa, aos meus amigos, aos eleitores do meu Estado, àqueles que oraram e torceram por mim. A todos vocês o meu muito obrigado. Estarei aqui neste Parlamento para cumprir a missão que o povo do meu Estado deu a mim, a de fazer do nosso um país cada vez mais justo, buscando a justiça social, buscando ajudar os que mais precisam, os mais humildes, os mais pobres, com as nossas convicções, mas respeitando os diferentes, buscando um país mais igual, plural, e respeitando todas as pessoas, porque todos nós queremos um Brasil melhor, apesar da pandemia e dos dias difíceis que nós, no Brasil e no mundo, estamos atravessando.
Eu sou uma pessoa que creio que, apesar de todas as adversidades, nós ainda vamos vencer este momento difícil e viveremos dias melhores nesta Pátria amada e gentil, o nosso Brasil do verde e amarelo.
Muito obrigado, Sr. Presidente.


ISNALDO BULHÕES, PAI, ISNALDO BULHÕES JR., DEPUTADO FEDERAL, FALECIMENTO, PACIENTE CONTAMINADO, CORONAVÍRUS, PÊSAMES. SÓSTENES CAVALCANTI, DEPUTADO FEDERAL, PACIENTE CONTAMINADO, CORONAVÍRUS, RECUPERAÇÃO.
oculta