Enquete da PEC 555/2006

Resultado

Resultado parcial desde 04/05/2018

Opção Participações Percentual
Concordo totalmente 356 93%
Concordo na maior parte 5 1%
Estou indeciso 1 0%
Discordo na maior parte 2 1%
Discordo totalmente 18 5%

Resultado na metodologia anterior Sobre Resultado na metodologia anterior?

Resultado parcial desde 04/05/2018

Representação dos dados do gráfico em forma de tabela
Opção Participações Percentual
Concordo 2 67
Discordo 1 33

O que foi dito

Pontos mais populares

NÃO É JUSTA A CONTRIBUIÇÃO PERPÉTUA DO TRABALHADOR QUE CONTRIBUIU A MAIOR PARTE DE SUA VIDA. ACREDITO QUE UMA MELHOR ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS PODERÁ SER MAIS EFICIENTE DO QUE PENALIZAR O SERVIDOR PÚBLICO.

Elza Maria Cardoso 25/04/2022
26

Aposentados da Iniciativa Privada (que ganham pouco) não precisam contribuir. Só Servidores públicos (que ganham em média bem mais) precisam. E normalmente só contribuem servidores que ganham mais que o teto do inss ($6,4 mil). Portanto só rico precisa contribuir. Sou contra essa PEC.

Cibele Mateus 18/05/2021
2

Todos os pontos levantados pelos usuários

Exibindo resultados 1 a 10 de 14 encontrados.

Baixar
  • Ponto positivo: Concordo plenamente que aposentados com mais de 70 não devem ser onerados nem mesmo com desconto de imposto de renda retido na fonte , e contribuição previdenciária deve sair automaticamente de descontos assim que publicada a aposentadoria . Quem se aposenta hoje , já sai doente , precisando de uma equipe multifuncional para cuidados de saúde e todos sabem que os médicos debandaram do IPE e estão cobrando o mínimo 250 reais de consulta chegando a 450 reais algumas especialidades .

    Neuza Silveira Menezes 16/11/2023
    2
  • Ponto positivo: É de inteira justiça o Serventuario da justiça e outros Servidores públicos que descontam para a Previdência por mais de 35 anos , ao se aposentarem, já idosos, desgualepados na sua saúde física , mental e psicológica , deixarem de pagar a Previdência , eis que com os baixos salários - sem reajustes das perdas há dez anos - precisando pagar consultas particulares, medicações , fisioterapeutas , dentista, tudo o que o IPERGS que é descontado mensalmente de seu contracheque , não lhes dá .

    Neuza Silveira Menezes 16/11/2023
    2
  • Ponto positivo: Não é justo, o servidor da justiça, pagar eternamente a previdência. Tem q mudar

    Evani Bisognin Camera 15/11/2023
    0
  • Ponto negativo: A contribuição incide apenas sobre a parcela que excede ao teto do RGPS. Servidores públicos, que contam com a paridade/integralidade, pagam apenas pela parcela que excede ao teto de benefícios do regime geral. A maior parte do déficit da previdência dos servidores públicos decorre daqueles que contavam com a metodologia válida para os que ingressaram até 2003.

    José Barbosa 16/08/2023
    0
  • Ponto positivo: Covardia o que fizeram (quando voltaram a cobrar) e continuam fazendo com o aposentado no Brasil, principalmente quem é aposentado por deficiência ou acidente de trabalho, deveriam procurar mecanismos que impedissem os desvios e os rombos constantes na previdência e não cobrar de quem contribuiu uma vida inteira quando estava na ativa e ser isento quando se aposentar pra ter uma melhor condição de vida. Pra poder pagar um plano de saúde porque o SUS não funciona.

    sebastiao de paula 31/07/2023
    2
  • Ponto positivo: Quem trabalhou e pagou a previdencia a vida toda NÃO deve mais pagar a mesma e sim aproveitar seus últimos anos de vida. Já cumpriu a sua parte.

    Rodrigo Antunes Monteiro 12/04/2023
    17
  • Ponto positivo: Considero obscena a cobranca de contribuicao por quem ja se aposentou.

    PEDRO BEVILAQUA 10/03/2023
    16
  • Ponto positivo: Aposentado desde 1999 por deficiência e aposentadoria proporcional em 50%, fortuna em remédio e idoso, enganado por homens públicos na PEC 56/14 que devolveria integralidade salarial....... Assumi o desvio, não tenho condições de cumprir obrigações com crédito, nem pagar multa por não fazer mais declaração anual do IR, mesmo descontado mensalmente, às vezes vem um sorriso outras ódio do abandono......... Talvez na cadeia me reste um prato de comida quente.

    tuka alves 23/08/2022
    9
  • Ponto positivo: NÃO É JUSTA A CONTRIBUIÇÃO PERPÉTUA DO TRABALHADOR QUE CONTRIBUIU A MAIOR PARTE DE SUA VIDA. ACREDITO QUE UMA MELHOR ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS PODERÁ SER MAIS EFICIENTE DO QUE PENALIZAR O SERVIDOR PÚBLICO.

    Elza Maria Cardoso 25/04/2022
    26
  • Ponto negativo: Aposentados da Iniciativa Privada (que ganham pouco) não precisam contribuir. Só Servidores públicos (que ganham em média bem mais) precisam. E normalmente só contribuem servidores que ganham mais que o teto do inss ($6,4 mil). Portanto só rico precisa contribuir. Sou contra essa PEC.

    Cibele Mateus 18/05/2021
    2
vote nesta enquete

Enquetes populares nesta semana

  1. PL 2717/2019

    O Projeto de Lei 2717/19 define a saúde estética como área de atuação de biólogos, biomédicos, enfermeiros, farmacêuticos, fonoaudiólogos e fisioterapeutas. Conforme o texto, o profissional deve ter título de especialidade regulamentado pelo respectivo conselho de fiscalização. A proposta está em tramitação na Câmara dos Deputados. Segundo o autor, deputado Fred Costa (Patriota-MG), há insegurança jurídica nesse segmento. “A ideia é permitir que esses profissionais exerçam seus conhecimentos em saúde estética, desde que dentro dos limites da área de atuação, da formação profissional e das diretrizes curriculares”, afirmou. Tramitação A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

  2. PLP 235/2019

    O Projeto de Lei Complementar (PLP) 235/19, já aprovado pelo Senado, cria o Sistema Nacional de Educação (SNE), com o objetivo de alinhar, harmonizar e articular políticas, programas e ações da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios na área educacional. A proposta está agora em análise na Câmara dos Deputados. Pelo texto, a ideia é universalizar o acesso à educação básica e garantir padrão de qualidade; erradicar o analfabetismo; assegurar as oportunidades educacionais; articular níveis, etapas e modalidades de ensino; cumprir planos de educação nos entes federativos; e valorizar os profissionais da educação, entre outras ações. Como princípios e diretrizes do SNE, são mencionadas a igualdade de condições para acesso e permanência na escola, na alocação de recursos e na definição de iniciativas; a articulação entre escola, trabalho e prática social; e ações inclusivas para alunos e populações de comunidades tradicionais, indígenas e quilombolas. Entre os objetivos, estão universalizar o acesso à educação básica, erradicar o analfabetismo e fortalecer os mecanismos redistributivos, todos com qualidade. Fazem parte desses dispositivos a assistência técnica, pedagógica e financeira; a infraestrutura física, tecnológica e de pessoal; e a participação democrática nos processos. Estados, Distrito Federal e municípios terão até dois anos para aprovar legislação específica para criação dos respectivos sistemas estaduais, distrital e municipais de educação. O Ministério da Educação deverá prestar assistência a todos. “O Sistema Nacional de Educação poderá representar um estímulo ao princípio da colaboração entre governos na adoção de políticas educacionais”, afirmou o autor da proposta, senador Flávio Arns (Podemos-PR), ao defender as mudanças. Tramitação O projeto tramitará em conjunto com iniciativa da Câmara (PLP 25/19) e será analisado pelas comissões de Educação; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois seguirá para o Plenário.     Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei complementar

  3. PL 85/2024

    Dispõe sobre fornecimento gratuito da caneta de adrenalina auto injetável pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

  4. PEC 14/2021

    Altera o art. 198 da Constituição Federal para estabelecer o Sistema de Proteção Social e Valorização dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, a aposentadoria especial e exclusiva, e fixar a responsabilidade do gestor local do SUS pela regularidade do vínculo empregatício desses profissionais.

  5. PL 536/2024

    Regulamenta a profissão de Motorista Autônomo de Serviços de Mobilidade Urbana e dá outras providências.

  6. PL 4476/2023

    Estabelece a definição de moedas sociais, bem como regula a sua emissão e transação através da tecnologia de registro distribuído.