Enquete da PEC 15/2022 (Fase 1 - CD)

Resultado

Resultado final desde 18/06/2022

Opção Participações Percentual
Concordo totalmente 21 36%
Concordo na maior parte 9 15%
Estou indeciso 2 3%
Discordo na maior parte 3 5%
Discordo totalmente 24 41%

O que foi dito

Pontos mais populares

Biocombustíveis são TÃO importantes que simm precisam ganhar lugar no mercado

Camille 28/06/2022
4

Enquanto a educação, saúde, segurança e outros setores da sociedade pedem socorro, estamos vendo na íntegra os absurdos que estão fazendo com o nosso dinheirinho. Caros Deputados as eleições estão se aproximando, não se esqueçam na hora da votação dessa PEC.

Moises Martins Braga 07/07/2022
1

Todos os pontos levantados pelos usuários

Exibindo resultados 1 a 8 de 8 encontrados.

Baixar
  • Ponto positivo: O objetivo não é favorecer os caminhoneiros, e sim minimizar os efeitos da crise mundial sobre os mais carentes. Depois isto não será definitivo, pois as montadoras, que não tem nenhuma brasileira, já decidiram que na Europa não será produzido nenhum veículo movido por combustíveis fósseis a partir de 2035.

    Tulio Machado Nogueira 13/07/2022
    0
  • Ponto negativo: Passaram por cima da legislação eleitoral. Caminhoneiros não queriam e não precisam. Tem brasileiros passando fome e caminhoneiros tem como ferramenta ajuste elevar o custo do frete. Não melhorou a perspectiva de inflação e a prioridade deveria ter sido feita no ano passado. deram um pedalada no Teto de Gastos tbm. Estado de emergência não existe.

    dario da costa leme 13/07/2022
    0
  • Ponto positivo: Os biocombustíveis são excenciais para o crescimento do país.

    Vinicius Rodrigues Vianna 13/07/2022
    1
  • Ponto negativo: Esta PEC não visa matar a fome dos necessitados, haja visto que tem prazo ate 31/12, pois ela não tem poder de milagre, porque a fome continuará após 31/12 além da destruição do equilíbrio fiscal que causará ao país. Trata-se de PEC eleitoreira.

    Francisco De Assis Moura 08/07/2022
    1
  • Ponto negativo: Enquanto a educação, saúde, segurança e outros setores da sociedade pedem socorro, estamos vendo na íntegra os absurdos que estão fazendo com o nosso dinheirinho. Caros Deputados as eleições estão se aproximando, não se esqueçam na hora da votação dessa PEC.

    Moises Martins Braga 07/07/2022
    1
  • Ponto positivo: Não há nada de positividade neste PEC, agora não se pode perceber, mas depois quem irá pagar o pato(cru), somos nós reles mortais.

    Moises Martins Braga 07/07/2022
    0
  • Ponto positivo: Biocombustíveis são TÃO importantes que simm precisam ganhar lugar no mercado

    Camille 28/06/2022
    4
  • Ponto positivo: É fundamental a coerência de políticas para o desenvolvimento sustentável. Uma das formas é deixar economicamente sinalizado na tributação indireta do governo federal e demais entes da federação que seja viabilizada a transição energética para combustíveis a partir da matriz energética amplamente disponível no Brasil (sol, ondas do mar, vento, biomassa, força hidráulica de águas), além de parceiros para tecnologias que ainda não dispomos - células de hidrogênio verde.

    Patricia 23/06/2022
    3

Enquetes populares nesta semana

  1. PL 1904/2024

    O Projeto de Lei 1904/24 equipara o aborto realizado após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio simples, inclusive no casos de gravidez resultante de estupro. Em análise na Câmara dos Deputados, a proposta altera o Código Penal, que hoje não pune o aborto em caso de estupro e não prevê restrição de tempo para o procedimento nesse caso. O código também não pune o aborto quando não há outro meio de salvar a vida da gestante.  Com exceção desses casos em que não há punição, o código prevê detenção de um a três anos para a mulher que aborta; reclusão de um a quatro anos para o médico ou outra pessoa que provoque aborto com o consentimento da gestante; e reclusão de três a 10 anos para quem provoque aborto sem o consentimento da gestante.  Caso o projeto seja aprovado pelos parlamentares, o aborto realizado após 22 semanas de gestação será punido com reclusão de seis a 20 anos em todos esses casos e também no caso de gravidez resultante de estupro. A pena é a  mesma prevista para o homicídio simples.  Justificativa O texto foi apresentado pelo deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ) e outros deputados. Segundo os parlamentares, quando o Código Penal foi promulgado, “se o legislador não colocou limites gestacionais ao aborto, não foi porque teria querido estender a prática até o nono mês da gestação”.  “Em 1940, quando foi promulgado o Código Penal, um aborto de último trimestre era uma realidade impensável e, se fosse possível, ninguém o chamaria de aborto, mas de homicídio ou infanticídio”, apontaram os autores da proposta. O projeto foi apresentado no mesmo dia em que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou a suspensão da resolução aprovada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) para proibir a realização da chamada assistolia fetal para interrupção de gravidez após 22 semanas de gestação. A técnica utiliza medicações para interromper os batimentos cardíacos do feto, antes de sua retirada do útero. Circunstâncias individuais De acordo com o projeto de lei, o juiz poderá mitigar a pena, conforme o exigirem as circunstâncias individuais de cada caso, ou poderá até mesmo deixar de aplicá-la, se as consequências da infração atingirem o próprio agente de forma tão grave que a sanção penal se torne desnecessária. Tramitação A proposta ainda não foi distribuída às comissões da Câmara, mas poderá ser votada diretamente pelo Plenário caso requerimento de urgência do deputado Eli Borges (PL-TO) e outros seja aprovado.  Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

  2. PLP 229/2023

    Regulamenta a aposentadoria especial dos Agentes Comunitários de Saúde e de Agentes de Combate às Endemias definida no §10 do art. 198 da Constituição Federal.

  3. PL 434/2021

    Institui o Estatuto do Nascituro, que dispõe sobre a proteção integral do nascituro e dá outras providências.

  4. PEC 18/2022

    Acrescenta o § 9º-A ao art. 198 da Constituição Federal, para criar piso salarial diferenciado para os agentes comunitários de saúde e os agentes de combate às endemias detentores de formação técnica, nos termos que especifica.

  5. PL 502/2024

    Cria o Estatuto Geral das Guardas Civis Patrimoniais Municipais e dá outras providências.

  6. PL 3416/2015

    Regulamenta a profissão de Arteterapeuta e dá outras providências.