Enquete da MPV 1089/2021

Resultado

Resultado final desde 03/01/2022

Opção Participações Percentual
Concordo totalmente 11 49%
Concordo na maior parte 5 23%
Estou indeciso 0 0%
Discordo na maior parte 1 5%
Discordo totalmente 5 23%

O que foi dito

Pontos mais populares

Quando foi aprovado o pagamento da tarifa de despacho de malas de até 23KG, foi informado que com isso, as passagens ficariam mais baratas (o que nunca ocorreu e pelo contrário, só aumentou mais) portanto, sou a favor da volta da franquia.

Danyelle Alves 08/05/2022
1

primeiro, são empresas privadas, o estado não deveria nem interferir no funcionamento, ou vão continuar interferindo e burocratizando tudo até quebrar todas no Brasil?

Jason 27/04/2022
1

Todos os pontos levantados pelos usuários

Exibindo resultados 1 a 8 de 8 encontrados.

Baixar
  • Ponto negativo: O que pode acontecer é as empresas repassarem os custos nos valores das passagens, mas aí entra a fiscalização, cadê a ANAC ?, está que advogada em favor das empresas.

    Marcos Santiago Alvarenga 16/06/2022
    0
  • Ponto positivo: A proposta inicial era que as passagens ficariam mais baratas, o que nuca aconteceu, portanto sou favor de voltar como era, como sempre o consumidor sempre pagando a conta.

    Marcos Santiago Alvarenga 16/06/2022
    0
  • Ponto negativo: O negativo pode ser que aumentem as passagens mas dado que já estão caras, ao menos teremos desconto da franquia de malas.

    Danyelle Alves 08/05/2022
    0
  • Ponto positivo: Quando foi aprovado o pagamento da tarifa de despacho de malas de até 23KG, foi informado que com isso, as passagens ficariam mais baratas (o que nunca ocorreu e pelo contrário, só aumentou mais) portanto, sou a favor da volta da franquia.

    Danyelle Alves 08/05/2022
    1
  • Ponto positivo: É ciência de todos que ao permitir a cobrança de bagagens as empresas não abaixaram o preço, sendo possível realizar o controle de peso das bagagens mesmo não sendo cobrado. Na verdade tem que ser realizado. Antes não havia acidentes por este motivo, não vai ser esta volta de regra que vai causar, não é do interesse de ninguém que um acidente aconteça, mas não houve nenhum esforço das empresas em diminuir o valor para seus clientes. Defendo a liberdade econômica, mas não a falta de senso.

    Rodney Geraldo Ribeiro 27/04/2022
    0
  • Ponto negativo: Ao permitir 23kg "gratuito" as cias aereas, no planejamento dos voos, concluirão que irão carregar mais peso, sendo necessario mais combustivel. AUMENTADO O PREÇO DA PASSAGEM! É mais interessante ir atrás de incentivos fiscais e tentar resolver o problema de pagarmos os combustivel de aviação MAIS CARO DO MUNDO.

    DAVI LISCIO 27/04/2022
    0
  • Ponto negativo: primeiro, são empresas privadas, o estado não deveria nem interferir no funcionamento, ou vão continuar interferindo e burocratizando tudo até quebrar todas no Brasil?

    Jason 27/04/2022
    1
  • Ponto negativo: Tem potencial para destruir a aviação Brasileira, tornando perigoso voar no país, além de autorizar a cabotagem, destruindo a economia da aviação nacional

    Juan Carlos 01/03/2022
    0

Enquetes populares nesta semana

  1. PL 2717/2019

    O Projeto de Lei 2717/19 define a saúde estética como área de atuação de biólogos, biomédicos, enfermeiros, farmacêuticos, fonoaudiólogos e fisioterapeutas. Conforme o texto, o profissional deve ter título de especialidade regulamentado pelo respectivo conselho de fiscalização. A proposta está em tramitação na Câmara dos Deputados. Segundo o autor, deputado Fred Costa (Patriota-MG), há insegurança jurídica nesse segmento. “A ideia é permitir que esses profissionais exerçam seus conhecimentos em saúde estética, desde que dentro dos limites da área de atuação, da formação profissional e das diretrizes curriculares”, afirmou. Tramitação A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

  2. PLP 235/2019

    O Projeto de Lei Complementar (PLP) 235/19, já aprovado pelo Senado, cria o Sistema Nacional de Educação (SNE), com o objetivo de alinhar, harmonizar e articular políticas, programas e ações da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios na área educacional. A proposta está agora em análise na Câmara dos Deputados. Pelo texto, a ideia é universalizar o acesso à educação básica e garantir padrão de qualidade; erradicar o analfabetismo; assegurar as oportunidades educacionais; articular níveis, etapas e modalidades de ensino; cumprir planos de educação nos entes federativos; e valorizar os profissionais da educação, entre outras ações. Como princípios e diretrizes do SNE, são mencionadas a igualdade de condições para acesso e permanência na escola, na alocação de recursos e na definição de iniciativas; a articulação entre escola, trabalho e prática social; e ações inclusivas para alunos e populações de comunidades tradicionais, indígenas e quilombolas. Entre os objetivos, estão universalizar o acesso à educação básica, erradicar o analfabetismo e fortalecer os mecanismos redistributivos, todos com qualidade. Fazem parte desses dispositivos a assistência técnica, pedagógica e financeira; a infraestrutura física, tecnológica e de pessoal; e a participação democrática nos processos. Estados, Distrito Federal e municípios terão até dois anos para aprovar legislação específica para criação dos respectivos sistemas estaduais, distrital e municipais de educação. O Ministério da Educação deverá prestar assistência a todos. “O Sistema Nacional de Educação poderá representar um estímulo ao princípio da colaboração entre governos na adoção de políticas educacionais”, afirmou o autor da proposta, senador Flávio Arns (Podemos-PR), ao defender as mudanças. Tramitação O projeto tramitará em conjunto com iniciativa da Câmara (PLP 25/19) e será analisado pelas comissões de Educação; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois seguirá para o Plenário.     Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei complementar

  3. REQ 201/2023 CE

    Requer a realização de Audiência Pública no âmbito da Comissão de Educação para discutir o Projeto de Lei nº. 2304/2019.

  4. PEC 14/2021

    Altera o art. 198 da Constituição Federal para estabelecer o Sistema de Proteção Social e Valorização dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, a aposentadoria especial e exclusiva, e fixar a responsabilidade do gestor local do SUS pela regularidade do vínculo empregatício desses profissionais.

  5. PL 4476/2023

    Estabelece a definição de moedas sociais, bem como regula a sua emissão e transação através da tecnologia de registro distribuído.

  6. PRL 3 CIDOSO => PL 9003/2017

    Parecer da Relatora, Dep. Tereza Nelma (PSD-AL), pela aprovação deste, e do PL 6764/2016, apensado, com substitutivo.