Enquete da MPV 1031/2021

Resultado

Resultado final desde 24/02/2021

Opção Participações Percentual
Concordo totalmente 239 6%
Concordo na maior parte 18 0%
Estou indeciso 3 0%
Discordo na maior parte 30 1%
Discordo totalmente 4.022 93%

O que foi dito

Pontos mais populares

Não podemos privatizar a eletrobras, é péssimo essa idéia

Sandra Antunes 26/02/2021
34

Põe em risco nossa maior Riqueza hidráulica e energética que nos dá soberania mundial.

ANA CRISTINA Bezerra 28/02/2021
42

Todos os pontos levantados pelos usuários

Exibindo resultados 1 a 10 de 651 encontrados.

Baixar
  • Ponto negativo: O único ponto negativo é que este projeto não tenha sido apresentado e aprovado antes.

    Omar Aaron 25/06/2021
    0
  • Ponto positivo: Geração de novos empregos. Mais investimentos no setor elétrico. Redução de custos para o usuário final. Redução de custos para o estado. Abatimento da dívida pública. Enfraquecimento de sindicatos controlados por políticos socialistas (os quais só pensam em si mesmos e nos seus próprios grupos). Enfim, há apenas pontos positvos.

    Omar Aaron 25/06/2021
    0
  • Ponto negativo: Já temos exemplos de que a estatização não é o melhor caminho a ser seguido. Sem contar que, de acordo com as manifestações dos indígenas da região, não houve consulta à população indígena, como prevê a Constituição Federal. Cadê os estudos de impacto ecológico e impacto social?? Se o país investisse mais em Ciência nós conseguiríamos elaborar melhores alternativas em amplos os setores, inclusive em questão de recursos energéticos.

    Michelle 22/06/2021
    0
  • Ponto negativo: A privatização da Eletrobrás servirá para escravizar os trabalhadores, porque irá terceirizar o serviço. Ainda tem a dívida para regularizar, que já é um prejuízo enorme, e quem paga? O povo, com mais impostos, e para a empresa que receber a Eletrobrás, os benefícios da privatização, ficar só com o lucro e nunca beneficia ninguém, nem trabalhador, nem o povo.

    Eliane 21/06/2021
    1
  • Ponto negativo: A privatização da Eletrobras só favorece essa a classe burguesa que oprime o povo brasileiro todos os dias, deixando a energia do país nas mãos de um punhado de oligarcas que financiam as campanhas desses fantoches no congresso para satisfazer seus interesses

    Luís 21/06/2021
    0
  • Ponto negativo: Absurdo! Vendendo tudo esse país não vai para frente nunca!

    Fabrizio de Farias Fernandes 21/06/2021
    0
  • Ponto negativo: Não há pontos positivos, entregamos para empresários às custas dos menos favorecidos

    Isabel 21/06/2021
    0
  • Ponto positivo: Não sei porque esses deputados colocam essas inquetea, eles não se importam com a opinião do povo, isso aumenta a descrença neles e no sistema todo. Enquanto elegemos esses topinho, nosso país não vai pra frente.

    Abraão Lima 21/06/2021
    0
  • Ponto negativo: A FIESP e outras entidades do setor produtivo se manifestaram contra, porque a MP vai encarecer a energia, gerando um efeito cascata que vai aumentar todos os produtos e serviços, prejudicando a produção e gerando desemprego.

    Valéria Martins Gomes da Silva 21/06/2021
    0
  • Ponto negativo: Uma empresa lucrativa e estratégica sendo vendida para particulares não faz sentido e é um grande prejuízo para o Brasil.

    Valéria Martins Gomes da Silva 21/06/2021
    0

Enquetes populares nesta semana

  1. PL 1904/2024

    Acresce dois parágrafos ao art. 124, um parágrafo único ao artigo 125, um segundo parágrafo ao artigo 126 e um parágrafo único ao artigo 128, todos do Código Penal Brasileiro, e dá outras providências.

  2. PLP 229/2023

    Regulamenta a aposentadoria especial dos Agentes Comunitários de Saúde e de Agentes de Combate às Endemias definida no §10 do art. 198 da Constituição Federal.

  3. PEC 18/2022

    Acrescenta o § 9º-A ao art. 198 da Constituição Federal, para criar piso salarial diferenciado para os agentes comunitários de saúde e os agentes de combate às endemias detentores de formação técnica, nos termos que especifica.

  4. PEC 21/2024

    PEC para promover o enquadramento dos servidores públicos federais ocupantes do cargo de auxiliar de enfermagem para a carreira dos técnicos de enfermagem.

  5. PL 2669/2022

    O Projeto de Lei 2669/22 institui o programa “Óculos Falantes” para pessoas com deficiências visuais nas bibliotecas públicas e na rede pública de educação, incluindo as escolas profissionais e tecnológicas. Os chamados "óculos falantes" consistem em um pequeno dispositivo que se conecta a todo tipo de armação de óculos com um sensor óptico que captura a imagem e converte as informações, instantaneamente, em áudio por meio de um pequeno alto-falante localizado acima do ouvido. “Os óculos falantes acabam por adicionar o poder de falar em voz alta aquilo que está sendo lido, por meio de inteligência artificial, facilitando a leitura das pessoas que possuem deficiência visual”, explica o autor da proposta, deputado José Nelto (PP-GO). “É de suma importância que haja a implementação de recursos tecnológicos para que ocorra a inclusão do aluno deficiente visual no ensino regular e ampliação desse ensino”, acrescenta. Pela proposta em análise na Câmara dos Deputados, as secretarias de Educação e a de Ciência, Tecnologia e Inovação serão responsáveis pela execução do programa e disponibilizarão exemplares dos "óculos falantes" àqueles que, comprovadamente, tiverem deficiência visual. Os estudantes, professores e demais pessoas com deficiência visual que tiverem interesse em fazer uso do dispositivo nas dependências das escolas ou das bibliotecas públicas deverão se inscrever no programa. As despesas decorrentes da execução da lei, se aprovada, ocorrerão à conta das dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário. Tramitação A proposta será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência; de Educação; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

  6. PEC 14/2021

    Altera o art. 198 da Constituição Federal para estabelecer o Sistema de Proteção Social e Valorização dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, a aposentadoria especial e exclusiva, e fixar a responsabilidade do gestor local do SUS pela regularidade do vínculo empregatício desses profissionais.