Enquete do INC 1222/2020

Resultado

Resultado final desde 15/12/2020

Opção Participações Percentual
Concordo totalmente 327 98%
Concordo na maior parte 3 1%
Estou indeciso 1 0%
Discordo na maior parte 0 0%
Discordo totalmente 5 1%

O que foi dito

Pontos mais populares

Empregados da Caixa estão diariamente expostos aos riscos do contágio. Trabalharam de forma grandiosa em favor da população e devem ser consideradas nessa fase de vacinação como prioridade, pois o atendimento continua e a exposição ao risco também

Marcos Àlves 21/12/2020
13

Incluir bancários de bancos particulares, em especial os que puderam e podem trabalhar em Home office. Esses devem receber a vacina sem prioridade.

Rosana Bandeira M Cezare 21/12/2020
4

Todos os pontos levantados pelos usuários

Exibindo resultados 1 a 10 de 27 encontrados.

Baixar
  • Ponto positivo: Vacina urgente para os bancários

    suelen Neves Vianna 12/03/2021
    0
  • Ponto negativo: Se abrir exceções para alguns outros também vão querer e o que já está ruim ficará ainda pior,cada um na sua vez.

    Edson Ferreira 25/02/2021
    0
  • Ponto positivo: Serviços bancários foram colocados como serviço essencial, portanto nada mais justo se vacinarem para poder atender a população sem serem contaminados, nem transmitirem.

    Mário José Marquetti 26/01/2021
    2
  • Ponto positivo: Tão essencial quanto os profissionais da saúde física, os bancários se expõe ao risco de contaminação diariamente, pelo bem da saúde financeira da população. Onde quer que tenha uma agencia bancária, muita gente para ser atendida e poucos corajosos bancários para atender essas pessoas. Mas entendo que a Indicação deveria limitar a prioridade na vacinação para os que seguem TRABALHANDO NAS AGENCIAS. Os que estão em home office podem esperar.

    Tesifon Quevedo Neto 22/01/2021
    1
  • Ponto positivo: Atendemos toda população, inclusive aos idosos. A economia do Brasil não pode parar e nesse ponto os serviços Bancários é essencial a População.

    Ataides Alves Moreira 18/01/2021
    3
  • Ponto positivo: Desde o início da pandemia, os bancários foram incluídos como serviços essenciais, não paramos nenhum dia , pegamos ônibus , metro , trem , atendemos muitas pessoas , então temos um risco muito alto de contaminação, muitos não são do grupo de risco , mas temos familiares em casa que são , então também colocamos a vida deles é rico !

    Lincoln Barreto 18/01/2021
    3
  • Ponto positivo: Bancárias/os mexem com dinheiro (que passa de mão em mão) e estão diariamente expostos ao contato presencial com dezenas de pessoas por dia. Ainda que esquecêssemos que podem adoecer de uma doença horrível que ninguém quer pegar, mesmo assintomaticos/as podem ser foco de transmissão do vírus para a própria família e para as/os colegas, clientes ou até mesmo meras/os usuários/as do banco, então acredito que seria bastante estratégico vacinar logo essas pessoas.

    Isabel Bernardes 14/01/2021
    4
  • Ponto positivo: Bancários fazem serviços essenciais e devem ser prioridade na hora da vacinação.

    Regina Sola 07/01/2021
    4
  • Ponto negativo: Tenho vergonha de ler comentários de bancários dizendo que os bancários que estão de home office, por conta de estar em grupo de risco, devem ser os últimos a serem vacinados, isso só demonstra a desumanidade de alguns bancários, a falta de senso, companheirismo e compaixão. Que Deus nunca permita que eu trabalhe ao lado de tipo de pessoas assim.

    henderson vei 06/01/2021
    3
  • Ponto positivo: Os Bancários, especialmente os da caixa, tiveram papel muito importante nesta pandemia. A economia do país precisara de estimulo por meio do crédito e os bancos tem papel fundamental.

    Felipe Pacheco 06/01/2021
    4

Enquetes populares nesta semana

  1. PEC 14/2021

    Altera o art. 198 da Constituição Federal para estabelecer o Sistema de Proteção Social e Valorização dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, a aposentadoria especial e exclusiva, e fixar a responsabilidade do gestor local do SUS pela regularidade do vínculo empregatício desses profissionais.

  2. PL 2283/2021

    O Projeto de Lei 2283/21 estabelece procedimentos para avaliação de imóveis destinados a órgãos e entidades da administração pública federal no âmbito dos três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e do Ministério Público, inclusive de empresas estatais ou sociedades de economia mista. Conforme o texto em análise na Câmara dos Deputados, as avaliações de bens imóveis serão resultado de análise técnica para identificar valores, custos ou indicadores de viabilidade econômica para determinados objetivos, finalidades e datas. O laudo deverá ser subscrito por engenheiro, arquiteto ou agrônomo. Os procedimentos para a realização do laudo de avaliação de imóveis serão: - análise da documentação disponível; - vistoria obrigatória, salvo exceções justificadas por escrito; - coleta e tratamento de dados; - diagnóstico de mercado; - escolha da metodologia; e - apresentação de resultado da avaliação. “Atualmente, não há nenhuma lei que regule os procedimentos para a avaliação desses imóveis”, afirmou o autor da proposta, deputado Fausto Pinato (PP-SP). “A vistoria é fundamental na apuração do correto valor, já que poderá constatar problemas estruturais e de acabamento ou mesmo irregularidades evidentes.” Tramitação O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

  3. PL 3949/2023

    Altera a Lei no 7.498, de 25 de junho de 1986, para estabelecer novas regras para a prescrição de medicamentos por enfermeiros autônomos em exercício em consultório ou clínica de enfermagem, bem como penalidades para o descumprimento da norma.

  4. REQ 201/2023 CE

    Requer a realização de Audiência Pública no âmbito da Comissão de Educação para discutir o Projeto de Lei nº. 2304/2019.

  5. PDL 6/2024

    Susta os efeitosdo inciso I do art. 38 do Decreto nº 11.615, de 21 de julho de 2023, que regulamenta a Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003,para excluir exigência de distanciamento de entidades de tiro desportivo em relação a estabelecimentos de ensino no País.

  6. PL 5405/2023

    Esta Lei altera o artigo 108 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), para dinamizar os contratos imobiliários.