Enquete do PL 4817/2019

Resultado

Resultado parcial desde 03/09/2019

Opção Participações Percentual
Concordo totalmente 678 99%
Concordo na maior parte 6 1%
Estou indeciso 0 0%
Discordo na maior parte 1 0%
Discordo totalmente 2 0%

O que foi dito

Pontos mais populares

Reconhecimento da necessidade de um atendimento diferenciado para os portadores da síndrome de Ehlers Danlos

Fernanda Almeida 28/09/2019
24

ninguém passa por portador. não da para fingir! Ha teste genético!!! a pessoa para ter a Ehlers danlos passa por muitos médicos ate alguém descobrir.. Eu descobri somente quando fui a um reumatologista...depois geneticista...e agora equipe multidisciplinar. Tudo é muito caro!!! e A saude no brasil precisa ser mais inclusiva...precisamos de ajuda das leis sim!

monica 05/07/2022
23

Todos os pontos levantados pelos usuários

Exibindo resultados 1 a 10 de 75 encontrados.

Baixar
  • Ponto positivo: Durante anos sofri com dores, acompanhando com diversos profissionais sem um diagnóstico correto, agora graças a minha amiga q é secretária no hospital de base, pedi o encaminhamento para dra Neuzeli Lamari, que fez o diagnóstico correto, hj em pouco mais de um mês e meio, me sinto bem mais esperançosa, eu me encontrei, e conheci pessoas no grupo da hipermobilidade,que me entendem e passam o mesmo que eu.Nossa vida é uma luta constante, convivo com dores, problemas gastrointestinais, fadiga etc

    Paloma Susan Do Prado 27/07/2023
    4
  • Ponto positivo: Me sinto em situação de desigualdade! Não me enquadro como PCD porém tive que abandonar 2 empregos por não possuir a capacidade física de executa-los, para ser considerado PCD é necessário ter limitações do movimento, o contrário da SED! Quando pego peso luxo meus ombros e punhos. Não tem como fingir ser portador! Sou farmacêutico e tive que mudar de área para poder trabalhar em empregos que não exijam tanto esforço ergonômico. Sofro no transporte publico pois luxo minhas articulações facilmente

    Bruno Pereira 27/01/2023
    9
  • Ponto positivo: Aos 49 anos, e já na 10a cirurgia para corrigir problemas em válvulas, esfíncteres e articulações, finalmente encontrei um reumatologista que juntou todos os sinais e sintomas que que eu tenho e que levam ao diagnóstico de SED. Minha filha mais nova, com 18 anos, já fez 2 cirurgias e a mais velha também apresenta sinais da síndrome. São mais de 30 anos de sofrimento, consultas médicas e exames sem fim, ouvindo que é psicossomático de pessoas que não fazem ideia do que é ser portador de SED.

    Janaina Panizza 08/12/2022
    10
  • Ponto positivo: Sou portadora da Síndrome de Ehlers Danlos e sofri durante minha vida inteira com dor crônica, desde criança, sem que ninguém, apesar de centenas de consultas e exames tivessem detectado. Quando finalmente descobri o que tenho, tudo ficou absolutamente claro e se encaixou em minha existência! Porém somente descobri o que tenho, por mim mesma, ao me formar em psicologia, através do estudo das síndromes. Fiquei muito feliz por me encontrar! O preconceito sofrido a vida toda é traumático e triste!

    Clara Eliana Gemelli Dolejal de Matos 24/11/2022
    13
  • Ponto positivo: A SED decorre da ANOMALIA (DEFEITO/DEFICIÊNCIA) no tecido conjuntivo, por falha na sintetizaçâo. O colágeno está em presente quase no corpo inteiro, sua deficiência pode afetar a saúde física e mental do paciente. Problemas na articulação e órgãos internos dificultam as atividades da vida cotidiana. Dor e fadiga são imensuráveis. Ter SED é lutar todos os dias contra as doenças existentes e o preconceito, é estar constantemente sob efeito de remédio e evitar agravamento (incapacidade/óbito).

    Cynthia Mota 25/10/2022
    9
  • Ponto positivo: Ha muita falta de informação inclusive por profissionais da saude, educadores, ha falta informação em grande parte dos meios, é muito importante o trabalho da divulgação para que esta doença genética possa ser conhecida, para que o estigma ligado a ela possa diminuir e que a inclusão possa ocorrer, assim como os direitos constitucionais devidos a quem precisa de ajuda e apoio das leis no País.

    monica 05/07/2022
    10
  • Ponto negativo: ninguém passa por portador. não da para fingir! Ha teste genético!!! a pessoa para ter a Ehlers danlos passa por muitos médicos ate alguém descobrir.. Eu descobri somente quando fui a um reumatologista...depois geneticista...e agora equipe multidisciplinar. Tudo é muito caro!!! e A saude no brasil precisa ser mais inclusiva...precisamos de ajuda das leis sim!

    monica 05/07/2022
    23
  • Ponto positivo: É de extrema importância a melhoria do tratamento dessa síndrome, a saúde e o atendimento hospitalar público para essa categoria cada vez mais se mostra em situação de precariedade! Sendo assim, é justo e necessário melhorias para a classe; assim cumprindo os direitos constitucionais vinculados a saúde.

    Lucas Roriz Zeschau 08/06/2022
    8
  • Ponto positivo: Maior inclusão dos pacientes portadores da Síndrome de Ehlers Danlos em todas as portarias possíveis de apoio e a disseminação a todos, por meio de revistar, entrevistas, jornais, blogs, canais de internet e a conscientização de todos sobre essa doença.

    Quezia Ainoã 01/06/2022
    12
  • Ponto positivo: Qnd pequena deslocava o ombro, com o tempo foi piorando e começou a deslocar tudo, já operei o maxilar, além da parte das articulações a SED afeta a minha parte gástrica e cardíaca, hipotensa. Os vasos são elásticos e com isso não da pressão p o fluxo sanguíneo, já fiz 3 ablacoes cardíacas e vem a disautonomia que eu do nada desmaio por causa da pressão baixa e complicado emagrecer pq se caminhar o joelho solta já tenho esporão no calcâneo e a coluna dói isso tudo com 34 anos imagina mais velha

    Vanessa Lima 18/05/2022
    11
vote nesta enquete

Enquetes populares nesta semana

  1. PEC 14/2021

    Altera o art. 198 da Constituição Federal para estabelecer o Sistema de Proteção Social e Valorização dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, a aposentadoria especial e exclusiva, e fixar a responsabilidade do gestor local do SUS pela regularidade do vínculo empregatício desses profissionais.

  2. PL 85/2024

    Dispõe sobre fornecimento gratuito da caneta de adrenalina auto injetável pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

  3. PL 2283/2021

    O Projeto de Lei 2283/21 estabelece procedimentos para avaliação de imóveis destinados a órgãos e entidades da administração pública federal no âmbito dos três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e do Ministério Público, inclusive de empresas estatais ou sociedades de economia mista. Conforme o texto em análise na Câmara dos Deputados, as avaliações de bens imóveis serão resultado de análise técnica para identificar valores, custos ou indicadores de viabilidade econômica para determinados objetivos, finalidades e datas. O laudo deverá ser subscrito por engenheiro, arquiteto ou agrônomo. Os procedimentos para a realização do laudo de avaliação de imóveis serão: - análise da documentação disponível; - vistoria obrigatória, salvo exceções justificadas por escrito; - coleta e tratamento de dados; - diagnóstico de mercado; - escolha da metodologia; e - apresentação de resultado da avaliação. “Atualmente, não há nenhuma lei que regule os procedimentos para a avaliação desses imóveis”, afirmou o autor da proposta, deputado Fausto Pinato (PP-SP). “A vistoria é fundamental na apuração do correto valor, já que poderá constatar problemas estruturais e de acabamento ou mesmo irregularidades evidentes.” Tramitação O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

  4. REQ 201/2023 CE

    Requer a realização de Audiência Pública no âmbito da Comissão de Educação para discutir o Projeto de Lei nº. 2304/2019.

  5. PDL 6/2024

    Susta os efeitosdo inciso I do art. 38 do Decreto nº 11.615, de 21 de julho de 2023, que regulamenta a Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003,para excluir exigência de distanciamento de entidades de tiro desportivo em relação a estabelecimentos de ensino no País.

  6. PL 3949/2023

    Altera a Lei no 7.498, de 25 de junho de 1986, para estabelecer novas regras para a prescrição de medicamentos por enfermeiros autônomos em exercício em consultório ou clínica de enfermagem, bem como penalidades para o descumprimento da norma.