Enquete da MPV 892/2019

Resultado

Resultado final desde 07/08/2019

Opção Participações Percentual
Concordo totalmente 245 29%
Concordo na maior parte 10 1%
Estou indeciso 2 0%
Discordo na maior parte 15 2%
Discordo totalmente 576 68%

O que foi dito

Pontos mais populares

Contribui com a sustentabilidade; reduz gastos para os empresários

Lindaura Moreira 09/08/2019
38

DESEMPREGO

Mirna G. Lima 09/08/2019
18

Todos os pontos levantados pelos usuários

Exibindo resultados 1 a 10 de 138 encontrados.

Baixar
  • Ponto positivo: A maioria esmagadora da população não entende nada de demonstrações financeiras e não lê isso nos jornais. Imprimir em tempos de internet é algo descabido. Vamos economizar para tirar o Brasil da lama.

    Marcio Reginaldo Vitti 18/11/2019
    0
  • Ponto negativo: Com o dinheiro gasto em publicação, a empresa tem como gerar mais empregos.

    Laerte Magni 13/11/2019
    0
  • Ponto positivo: Diminui o custo para as empresas.Sou contador e não leio as páginas de balanços.Economia de papel . Gera menos lixo, apesar de ser reciclável o jornal.

    Laerte Magni 13/11/2019
    0
  • Ponto positivo: Publicação e jornais (mídia obsoleta) é um gasto desnecessário para as empresas.

    Edson S. Pinto 13/11/2019
    0
  • Ponto positivo: Economia para as empresas. Simplesmente isso!

    Roberto 13/11/2019
    0
  • Ponto positivo: A leitura das demonstrações contábeis em jornal é obsoleta. Quando necessário, tanto bancos quanto fornecedores solicitam as demonstrações diretamente as empresas. Portanto, ponto positivo para redução de custos nas empresa.

    Leni Penning 13/11/2019
    0
  • Ponto positivo: Economia de papel (recursos naturais), inserção da informação onde interessa (ninguém que se interessa por esse tipo de informação a lê no jornal), diminuição das despesas das empresas, evitando demissão. Acesso gratuito à informação sem precisar comprar jornal.

    Fernando Reis 06/11/2019
    0
  • Ponto positivo: Estamos na era da tecnologia, não faz sentido uma publicação impressa obrigatória. A divulgação pode muito bem ser feitas em sites ou de preferência registrada em blockchain para maior segurança dos dados.

    Rafael Barros da Silva 06/11/2019
    1
  • Ponto negativo: transparência das informações

    Mauricio Lopes 05/11/2019
    0
  • Ponto negativo: perde a transparência, que fica registrado no impresso.

    Jose Mario Borges 04/11/2019
    0

Enquetes populares nesta semana

  1. PL 914/2024

    Institui o Programa Mobilidade Verde e Inovação - Programa Mover.

  2. PEC 18/2022

    Acrescenta o § 9º-A ao art. 198 da Constituição Federal, para criar piso salarial diferenciado para os agentes comunitários de saúde e os agentes de combate às endemias detentores de formação técnica, nos termos que especifica.

  3. EMP 16 => PL 1213/2024

    Dispõe sobre a criação das Carreiras de Especialista em Indigenismo, de Técnico em Indigenismo, e de Tecnologia da Informação, define o órgão supervisor e altera a remuneração do cargo de Analista Técnico de Políticas Sociais, de que trata a Lei nº 12.094, de 19 de novembro de 2009, e altera a remuneração das Carreiras e do Plano Especial de Cargos da Agência Nacional de Mineração, de que trata a Lei nº 11.046, de 27 de dezembro de 2004.

  4. PL 1306/2024

    Altera a Lei nº 10.260, 12 de julho de 2001, que trata do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), a fim de estabelecer disposições relativas à quitação de obrigações futuras decorrentes de contratos de estudantes adimplentes com o mencionado Fundo, e dá outras providências.

  5. PL 2531/2021

    O Projeto de Lei 2531/21 institui o piso salarial nacional para os profissionais que trabalham nos setores técnico e administrativo das escolas de educação básica, que será inicialmente de R$ 2.164,68 mensais. O texto tramita na Câmara dos Deputados. Pela proposta, o piso será pago para jornada de trabalho de 40 horas semanais, garantindo-se a proporcionalidade do valor para jornadas diferentes. O projeto prevê ainda a atualização anual do piso, no mês de janeiro, com base nos índices oficiais de inflação. A autora do projeto é da deputada Rose Modesto (PSDB-MS). “Uma nação que pretenda priorizar a educação não pode esquecer do papel fundamental que a gestão escolar, exercido por profissionais dos quadros de pessoal técnico e administrativo, tem para garantir que a escola funcione em harmonia e alcance seus objetivos”, disse. Ela afirma ainda que o valor proposto equivale a 75% do piso nacional para o magistério público da educação básica (hoje de R$ 2.886,24). Tramitação O projeto será analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Educação; Trabalho, de Administração e Serviço Público; Finanças e Tributação; e Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

  6. PL 2511/2023

    Dispõe sobre o salário profissional nacional dos Condutores de Ambulância.