Enquete da PEC 108/2019

Resultado

Resultado final desde 09/07/2019

Opção Participações Percentual
Concordo totalmente 11.317 50%
Concordo na maior parte 358 2%
Estou indeciso 66 0%
Discordo na maior parte 298 1%
Discordo totalmente 10.776 47%

O que foi dito

Pontos mais populares

Os conselhos não precisam de extinção, e sim de TRANSPARÊNCIA.

Gonçalves Gonçalves 10/07/2019
123

Transformar em direito privado uma atividade que é de obrigação do estado.

Patrícia 09/07/2019
207

Todos os pontos levantados pelos usuários

Exibindo resultados 1 a 10 de 2537 encontrados.

Baixar
  • Ponto negativo: O registro em um determinado conselho não dirá se você é um bom ou mau profissional, dirá apenas que você tem registro.

    Wendell Moura 04/11/2021
    1
  • Ponto positivo: totalmente apoiado a PEC 108, pelo fim do exame de ordens ja que passamos uma graduação de 4 anos.

    Andreia Maria De Sousa Maria 21/10/2021
    1
  • Ponto positivo: totalmente apoiado a PEC 108, pelo fim do exame exame de ordem.

    Andreia Maria De Sousa Maria 21/10/2021
    1
  • Ponto negativo: O profissional passa anos no curso, aí quando termina, ainda precisa pagar para exercer a profissão.

    fernando sousa 02/10/2021
    2
  • Ponto positivo: Esses "conselhos, todos" apenas arrecadam dos profissionais e autuam os contribuintes, verdadeiro sanguessugas da sociedade.

    fernando sousa 02/10/2021
    4
  • Ponto positivo: Nunca exerci a profissão de Administrador e sou obrigada a pagar anuidade. Entrei duas vezes com protocolo de cancelamento de registro no CRA-DF, o primeiro foi negado e o segundo está na fila para avaliar desde antes da pandemia. Enquanto isso, vão arrecadando e enrolando. Não sei mais o que fazer para cancelar o meu registro. Esse Conselho é muito inútil, nem fiscalizam os concursos em que as vagas deveriam ser para Administrador, porém o edital diz que é para qualquer nível superior.

    Arlete Lety 19/09/2021
    1
  • Ponto negativo: Sou contra essa medida. Conselhos Profissionais são órgãos de autorregulação profissional, que prezam pelo Interesse Público, nas quais os próprios profissionais - responsáveis por um determinado campo de responsabilidade profissional - são capazes de legislar sobre seus próprios assuntos técnicos, coisa que pessoas leigas não terão capacidade. Essa medida, ao desobrigar e enfraquecer os Conselhos Profissionais, desprofissionalizam profissões importantes que protegem a sociedade.

    Gustavo Carolino 12/09/2021
    1
  • Ponto positivo: 1• Concordo em Gênero, Número e Grau, afinal é a ideia do governo atual (liberdade econômica); 2• Mas tem que mudar também legislação sobre a criminalização no Brasil; 3• profissional ruim vai existir atuando no mercado, seja com ou sem conselho de classe, o que vai fazer diferença é quando o ruim cometer seu erro ele ser arbitrado com leis de verdade, que o considerem um criminoso/culpado, e aí, quem vai querer trabalhar com criminoso ??? O mercado por si só se auto-controla.

    Abner Planater Planater 06/09/2021
    3
  • Ponto positivo: diminuir ou acabar com valor de anuidade, imagine somente nesse ano de 2021 sou obrigado a pagar de anuidade e juros multa quase R$ 3.000,00.

    osenilson dos santos crisostomo 02/09/2021
    3
  • Ponto positivo: Imagina ter que pagar a maior anuidade entre os conselhos. Imagine ainda pagar taxa para cada trabalho executado, e são taxas consideráveis, imagina ter que fazer isso para cada serviço ou nota fiscal. Imagina que além desses pagamentos para tudo, o processo é lento, burocrático. Considere também que a maioria dos representados por esse conselho trabalham como analistas e não recebem o piso. Essa é a realidade dos engenheiros. O sistema CREA CONFEA tem que acabar urgentemente.

    Jorge José Fernandes Filho 25/08/2021
    3

Enquetes populares nesta semana

  1. PEC 14/2021

    Altera o art. 198 da Constituição Federal para estabelecer o Sistema de Proteção Social e Valorização dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, a aposentadoria especial e exclusiva, e fixar a responsabilidade do gestor local do SUS pela regularidade do vínculo empregatício desses profissionais.

  2. PL 2283/2021

    O Projeto de Lei 2283/21 estabelece procedimentos para avaliação de imóveis destinados a órgãos e entidades da administração pública federal no âmbito dos três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e do Ministério Público, inclusive de empresas estatais ou sociedades de economia mista. Conforme o texto em análise na Câmara dos Deputados, as avaliações de bens imóveis serão resultado de análise técnica para identificar valores, custos ou indicadores de viabilidade econômica para determinados objetivos, finalidades e datas. O laudo deverá ser subscrito por engenheiro, arquiteto ou agrônomo. Os procedimentos para a realização do laudo de avaliação de imóveis serão: - análise da documentação disponível; - vistoria obrigatória, salvo exceções justificadas por escrito; - coleta e tratamento de dados; - diagnóstico de mercado; - escolha da metodologia; e - apresentação de resultado da avaliação. “Atualmente, não há nenhuma lei que regule os procedimentos para a avaliação desses imóveis”, afirmou o autor da proposta, deputado Fausto Pinato (PP-SP). “A vistoria é fundamental na apuração do correto valor, já que poderá constatar problemas estruturais e de acabamento ou mesmo irregularidades evidentes.” Tramitação O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

  3. PL 3949/2023

    Altera a Lei no 7.498, de 25 de junho de 1986, para estabelecer novas regras para a prescrição de medicamentos por enfermeiros autônomos em exercício em consultório ou clínica de enfermagem, bem como penalidades para o descumprimento da norma.

  4. REQ 201/2023 CE

    Requer a realização de Audiência Pública no âmbito da Comissão de Educação para discutir o Projeto de Lei nº. 2304/2019.

  5. PDL 6/2024

    Susta os efeitosdo inciso I do art. 38 do Decreto nº 11.615, de 21 de julho de 2023, que regulamenta a Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003,para excluir exigência de distanciamento de entidades de tiro desportivo em relação a estabelecimentos de ensino no País.

  6. PL 5405/2023

    Esta Lei altera o artigo 108 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), para dinamizar os contratos imobiliários.