Enquete da PEC 215/2000

Resultado

Resultado final desde 04/05/2018

Opção Participações Percentual
Concordo totalmente 3 7%
Concordo na maior parte 0 0%
Estou indeciso 0 0%
Discordo na maior parte 0 0%
Discordo totalmente 38 93%

Resultado na metodologia anterior Sobre Resultado na metodologia anterior?

Resultado final desde 04/05/2018

Representação dos dados do gráfico em forma de tabela
Opção Participações Percentual
Concordo 4 18
Discordo 18 82

O que foi dito

Pontos mais populares

Nenhum comentário positivo foi feito nessa enquete que não está mais vigente.

Um desrespeito com os povos indígenas, o Conselho não deve nem pode ser o responsável pela demarcação de terras considerando que a questão ruralista pretenderá pressionar a seu favor. A demarcação deve ser realizada por um órgão separado, e responsável.

juliadutracampos@gmail.com 06/05/2019
7

Todos os pontos levantados pelos usuários

Exibindo resultados 1 a 6 de 6 encontrados.

Baixar
  • Ponto negativo: Os invasores desse país já têm terras para plantação, exploração, extração, destruição e tudo o que for possível para o próprio enriquecimento. Prá que tirar o pouco que sobrou dos indígenas?

    Fernando Gallotti 30/06/2021
    1
  • Ponto negativo: Retirada do direito dos índios assuas terras que já foi passada de geração a geração. E a dissolução de sua cultura, isso bárbaro. A TERRA É DE DIREITO DELES E ISSO DEVE SER RESPEITADO.

    Evelyn Coelho Rocha 23/10/2020
    2
  • Ponto negativo: UM RETROCESSO NA LUTA INDÍGENA, JÁ QUE MUITAS TERRAS JÁ TINHAM SIDO DESTRUÍDAS POR COLONIZADORES EM 1988 E QUEM LUTA PELOS INDÍGENAS ESTARIAM A SERVIÇO DE GRUPOS ECONÔMICOS, PARALISANDO A DEMARCAÇÃO DE TERRAS E INVIABILIZANDO A DEMARCAÇÃO DE NOVAS TERRAS, O QUE AUMENTARIA AINDA MAIS OS CONFLITOS.

    Mariana dos Santos Borges 10/06/2020
    4
  • Ponto negativo: Incentivo devastação da Floresta e da cultura dos Indígenas e dos povos da floreta.

    Nelson Moreno Junior 09/06/2020
    2
  • Ponto negativo: Só o Executivo, que representa a maioria da população pode definir isso. Nem deveria existir demarcações, todo brasileiro é igual. Chega de projetos socialistas!

    Adriano Augusto 04/04/2020
    2
  • Ponto negativo: Um desrespeito com os povos indígenas, o Conselho não deve nem pode ser o responsável pela demarcação de terras considerando que a questão ruralista pretenderá pressionar a seu favor. A demarcação deve ser realizada por um órgão separado, e responsável.

    juliadutracampos@gmail.com 06/05/2019
    7

Enquetes populares nesta semana

  1. PL 2717/2019

    O Projeto de Lei 2717/19 define a saúde estética como área de atuação de biólogos, biomédicos, enfermeiros, farmacêuticos, fonoaudiólogos e fisioterapeutas. Conforme o texto, o profissional deve ter título de especialidade regulamentado pelo respectivo conselho de fiscalização. A proposta está em tramitação na Câmara dos Deputados. Segundo o autor, deputado Fred Costa (Patriota-MG), há insegurança jurídica nesse segmento. “A ideia é permitir que esses profissionais exerçam seus conhecimentos em saúde estética, desde que dentro dos limites da área de atuação, da formação profissional e das diretrizes curriculares”, afirmou. Tramitação A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

  2. PLP 235/2019

    O Projeto de Lei Complementar (PLP) 235/19, já aprovado pelo Senado, cria o Sistema Nacional de Educação (SNE), com o objetivo de alinhar, harmonizar e articular políticas, programas e ações da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios na área educacional. A proposta está agora em análise na Câmara dos Deputados. Pelo texto, a ideia é universalizar o acesso à educação básica e garantir padrão de qualidade; erradicar o analfabetismo; assegurar as oportunidades educacionais; articular níveis, etapas e modalidades de ensino; cumprir planos de educação nos entes federativos; e valorizar os profissionais da educação, entre outras ações. Como princípios e diretrizes do SNE, são mencionadas a igualdade de condições para acesso e permanência na escola, na alocação de recursos e na definição de iniciativas; a articulação entre escola, trabalho e prática social; e ações inclusivas para alunos e populações de comunidades tradicionais, indígenas e quilombolas. Entre os objetivos, estão universalizar o acesso à educação básica, erradicar o analfabetismo e fortalecer os mecanismos redistributivos, todos com qualidade. Fazem parte desses dispositivos a assistência técnica, pedagógica e financeira; a infraestrutura física, tecnológica e de pessoal; e a participação democrática nos processos. Estados, Distrito Federal e municípios terão até dois anos para aprovar legislação específica para criação dos respectivos sistemas estaduais, distrital e municipais de educação. O Ministério da Educação deverá prestar assistência a todos. “O Sistema Nacional de Educação poderá representar um estímulo ao princípio da colaboração entre governos na adoção de políticas educacionais”, afirmou o autor da proposta, senador Flávio Arns (Podemos-PR), ao defender as mudanças. Tramitação O projeto tramitará em conjunto com iniciativa da Câmara (PLP 25/19) e será analisado pelas comissões de Educação; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois seguirá para o Plenário.     Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei complementar

  3. PL 85/2024

    Dispõe sobre fornecimento gratuito da caneta de adrenalina auto injetável pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

  4. PEC 14/2021

    Altera o art. 198 da Constituição Federal para estabelecer o Sistema de Proteção Social e Valorização dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, a aposentadoria especial e exclusiva, e fixar a responsabilidade do gestor local do SUS pela regularidade do vínculo empregatício desses profissionais.

  5. PL 4476/2023

    Estabelece a definição de moedas sociais, bem como regula a sua emissão e transação através da tecnologia de registro distribuído.

  6. PL 536/2024

    Regulamenta a profissão de Motorista Autônomo de Serviços de Mobilidade Urbana e dá outras providências.