Selo de item fato É fato que o relator da CPI do BNDES propôs inicialmente o indiciamento dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff

No entanto, o relatório aprovado pelos deputados que integram a CPI não sugere que Lula e Dilma sejam investigados

04/11/2019 - 17:47

A CPI do BNDES aprovou, dia 22 de outubro, seu relatório final com o pedido de indiciamento de mais de 50 pessoas. Entre elas, não estão os nomes dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. O relator havia proposto inicialmente o indiciamento de Lula e Dilma, mas o texto final aprovado pelo colegiado não inclui os ex-presidentes.

O relatório final afirma que foram desviados recursos dos cofres do banco estatal para beneficiar empresas brasileiras prestadoras de serviços em outros países, no período dos governos Lula e Dilma, de 2003 a 2015, especialmente a Odebrecht e a JBS.

A CPI foi instalada em março de 2019 para investigar a prática de atos ilícitos e irregulares relacionados à internacionalização de empresas brasileiras, entre 2003 e 2015, no âmbito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O relatório final da CPI do BNDES será encaminhado ao Ministério Público Federal, a quem cabe analisar as informações e a coleta de dados feitas pela CPI para dar prosseguimento às investigações.

Informações sobre a CPI do BNDES podem ser encontradas na página da comissão ou na página de Notícias do portal da Câmara.