CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 315.3.55.O Hora: 16h33 Fase: CP
  Data: 19/10/2017

Sumário

Preocupação com a crescente ideologia de gênero e da sexualização da infância.

O SR. ROBERTO DE LUCENA (PV-SP. Como Líder. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, ilustre Deputado Evair Vieira de Melo, orgulho da bancada verde na Câmara dos Deputados e do povo capixaba, saúdo V.Exa., assim como cumprimento o ilustre Deputado Flavinho, que mui bem tem representado o povo de São Paulo dentro da bancada paulista desta Câmara dos Deputados.
Sras. e Srs. Deputados, eu quero falar hoje sobre a criança e o adolescente. O Estado e a sociedade brasileira têm o dever, têm a obrigação moral e a obrigação legal de proteger as nossas crianças e proteger os nossos adolescentes.
Nós demos um passo importante, como resultado do esforço desta Casa, de muita reflexão, de muita discussão da sociedade, através do Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA. Demos outro passo importante através dos Conselhos Tutelares, que estão amadurecendo, avançando e se estruturando em todo o País. Estamos dando outro passo importante com o Criança Feliz, um belo programa do Governo Federal que cuida especialmente da primeira infância.
Deputado Flavinho, faço a defesa de que o Programa Criança Feliz, que cuida da primeira infância, precisa necessariamente cuidar da primeira infância desde a vida intrauterina. Nós temos essa obrigação, esse dever de levantar muros de proteção em torno das nossas crianças.
E o motivo que me traz a esta tribuna hoje é exatamente a preocupação que temos tido com crescentes movimentos que têm acontecido em alguns setores da sociedade e setores da mídia que visam exatamente atingir e afetar as nossas crianças, preconizando a ideologia de gênero, trabalhando com uma agenda de sexualização da infância, agenda cujo objetivo é captar ou atrair a consciência das nossas crianças para a construção e a formação de outra compreensão da sociedade.
Deputado Flavinho, V.Exa. muito bem disse há pouco, na tribuna, da importância da união de católicos e evangélicos nesta Casa. Independentemente de pontuais divergências doutrinárias, que são menores do que os pontos que nos unem, aqui nos unimos na defesa da vida e na defesa da família. E, neste momento, essa bancada de Deputados federais tem se levantado exatamente para erguer esses muros em torno das crianças.
A Rede Globo, com sua agenda agressiva, leva para os lares de todo o Brasil um verdadeiro esgoto a céu aberto, despejando na sala dos brasileiros a construção de uma sociedade que não representa aquilo que essa sociedade deseja. Noventa por cento da sociedade brasileira são compostos de cristãos, que têm fundamentos judaico-cristãos. A sociedade sente-se agredida e massivamente atingida, quando recebe esse tipo de informação, essa postura desse grande complexo, que começou a cair e vai cair.
Nós vamos assistir à queda da Rede Globo, porque a Globo escolheu o lado errado. Está contra a sociedade brasileira, está contra a família, está contra o Brasil, o Brasil do futuro, o Brasil que nós desejamos, o Brasil que nós sonhamos, o Brasil justo, o Brasil da tolerância, o Brasil onde as pessoas convivem harmonicamente, independentemente e apesar das duas diferenças. A Rede Globo tem sido, sim, um canal e um instrumento de fomento da intolerância, da violência, dividindo o Brasil entre nós e eles, uma divisão que nunca antes nós vimos neste País.
E quero aqui lembrar, Deputado Flavinho, que, quando nasceram Moisés e Jesus, aquela geração de crianças foi tremendamente perseguida, aquela geração de crianças. Levantou-se o Faraó, levantou-se o Herodes, para matar aquela geração de crianças, porque no meio delas estavam vindo líderes que iam fazer diferença naquela geração e na humanidade. Eu acredito que esta geração que está sendo alvo dessa agenda, dessa articulação, dessa mobilização, é realmente a geração da transição, a geração que vai pavimentar e construir essa passagem para a sociedade mais justa, mais ética, mais equilibrada, mais iluminada, uma sociedade que consiga a maturidade de conviver harmonicamente, apesar das suas diferenças.
Por isso, eu quero fazer um apelo a esta Casa: tenhamos muita responsabilidade. Que nós nos levantemos! A Rede Globo e a Omo já começaram a perceber o que significa e representa a unidade daqueles que se levantam para dizer "não". É a hora e a vez das pessoas de bem deste País dizerem "não" ao Sistema Globo de Comunicação.
Muito obrigado, Sr. Presidente.
O SR. PRESIDENTE (Evair Vieira de Melo) - Muito obrigado ao Deputado Roberto de Lucena, do Partido Verde de São Paulo. Quero parabenizá-lo pela fala e pela conduta.



PREOCUPAÇÃO, VIOLAÇÃO DO DIREITO, DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE, APOLOGIA, IDEOLOGIA, IDENTIDADE DE GÊNERO. CRÍTICA, PROGRAMAÇÃO, REDE GLOBO DE TELEVISÃO, DESRESPEITO, FAMÍLIA, SOCIEDADE BRASILEIRA.
oculta