CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 210.2.55.O Hora: 10h2 Fase: BC
  Data: 30/8/2016

Sumário

Defesa da legalidade do processo de impeachment contra Presidenta da República afastada, Dilma Rousseff.

O SR. EDUARDO BOLSONARO (Bloco/PSC-SP. Sem revisão do orador.) - Bom dia, Sr. Presidente, demais colegas Parlamentares.
Venho à tribuna para, não diferentemente dos meus colegas, comentar a situação no Senado, que está votando o impeachment da Dilma Rousseff. E quem pôde comprar uma pipoca ontem se divertiu muito assistindo à defesa dela da tribuna do Senado Federal.
Ela chegou a citar, Sr. Presidente, o fato de que o atual Governo não estaria honrando os compromissos que ela, Dilma Rousseff, fez por ocasião das eleições de 2014, aquele compromisso fajuto dizendo que as contas públicas estavam perfeitas, que todos os programas assistencialistas seriam mantidos, que a gasolina não subiria, que a luz não subiria, ou seja, mentem e continuam mentindo.
Então vou explicar para os senhores o que foram as pedaladas fiscais. Ao mesmo tempo em que ela mentia para os senhores, ela pegava empréstimos em bancos públicos, coisa que ela não poderia fazer por força da Lei de Responsabilidade Fiscal, de 2000. Pelo visto, os petistas não gostam muito da Lei de Responsabilidade Fiscal, que inclusive foi replicada no Código Penal. Ou seja, é merecedora de cadeia também, não só pelas mentiras, mas pelas suas atitudes.
E, depois de roubar os senhores, depois de ser Ministra de Minas e Energia, Chefe da Casa Civil, Presidente da República, que nomeia o Presidente da PETROBRAS, e não saber do rombo de bilhões da PETROBRAS, ela sobe ali com essa cara de pau e vem dizer para os senhores que está sendo vítima de um golpe.
Pare de ser cara de pau, Presidente! Nós já sabemos como a banda toca. Mentiram hoje, mentiram no passado quando falaram que os militares deram um golpe em 64.
Foi este Congresso Nacional aqui, com votos de Franco Montoro, Ulysses Guimarães, Juscelino Kubitschek, que cassou o Presidente Jango e que, depois, elegeu o Presidente Castello Branco, que assumiu apenas no dia 15 de abril. Parem de ser mentirosos! Não querem acreditar em mim, vão à biblioteca do Congresso e vejam o Diário do Congresso Nacional daquele tempo.
Se não tivessem tanta preocupação, não teriam nem anulado essa sessão do Congresso Nacional no ano retrasado, uma iniciativa do Parlamentar Randolfe Rodrigues, que anulou essa sessão do Congresso exatamente para poder mentir e reescrever a história para os senhores.
Então, senhores, eu estou do lado da verdade. Se daqui a 20 anos disserem que houve um golpe no Brasil, podem ter certeza de que estarei lá para defender vocês, pois meu compromisso é com você, não é com o poder.
Muito obrigado, Sr. Presidente.



BRASIL, DILMA ROUSSEFF, PRESIDENTE DA REPÚBLICA AFASTADO, IMPEACHMENT, SENADO FEDERAL, LEGALIDADE, FAVORÁVEL, REGISTRO.
oculta