CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 189.4.55.O Hora: 18h56 Fase: BC
  Data: 07/08/2018

Sumário

Candidatura do orador ao Senado Federal. Participação do PSOL nas eleições brasileiras de 2018. Crítica a declarações do candidato ao cargo de Vice-Presidente da República na chapa do Deputado Jair Bolsonaro.

O SR. CHICO ALENCAR (PSOL-RJ. Como Líder. Sem revisão do orador.) - Presidente Gilberto Nascimento, por coincidência, o meu partido também me indicou a honrosa tarefa de disputar uma vaga para o Senado da República, contra o Deputado Arolde de Oliveira. As ideias brigam; as pessoas, não.
Eu quero dizer, neste momento em que há chapas encaminhadas, alianças feitas - algumas até parecem o cruzamento de cavalo com vaca, que acaba não dando leite nem puxando carroça; partido golpista apoiando golpeados; golpeados aceitando adesão de golpistas; enfim, uma geleia quase geral na política brasileira -, que o PSOL, que não se acha melhor do que ninguém, que não quer carregar a aura da pureza absoluta, porque isso não existe, pelo menos busca ideologia para viver, projeto de país e alianças programáticas. Assim, nosso partido é o que tem maior número de candidaturas aos Governos Estaduais e chapas bastante robustas às Assembleias Estaduais, à Câmara dos Deputados e ao Senado da República.
Para nós, o povo brasileiro não é esse caldinho cultural dos privilégios portugueses, que, inclusive, é uma conceituação não dos portugueses em geral, mas do tipo de Estado que se implantou aqui, algo que deve ser levado em consideração, o patrimonialismo, o patriarcalismo e o clientelismo. Mas outros conceitos em relação ao nosso povo, o povo da raça Brasil, felizmente cheio de raízes diferenciadas, dizem que a nossa matriz indígena nos dá uma herança de indolência e a nossa raiz africana, muito honrosa e sofrida aqui no território, nos dá a característica da malandragem, como apontou um candidato a Vice-Presidente da República.
Eu indaguei ao Deputado Bolsonaro, que é seu titular, o capitão que, em tese, está superior ao general nessa chapa, o que ele pensa sobre isso. Ele não quis responder nem está mais no plenário agora.
De qualquer maneira, isso é um rematado absurdo. Algumas teorias racistas do início do século XIX, do Brasil Império, inspiradas, por exemplo, em Gobineau, diziam que era preciso trazer imigrantes europeus para melhorar o Brasil de Dom João VI, melhorar o perfil do povo brasileiro. Esse racialismo é abjeto. Ele é totalmente anacrônico, para dizer o mínimo.
Temos que começar a apresentar propostas para o nosso povo, para a nossa sociedade, respeitando esse mesmo povo, valorizando a sua composição; povo que o saudoso Fernando Brant chamava de povo da raça Brasil, que tem a grande proeza de sobreviver ao latifúndio, à concentração da propriedade, à monocultura, à dependência externa, à escravidão, continuada hoje sob tantas formas.
Portanto, queremos repudiar esse tipo de conceito e chamar a população ao debate sobre quem é quem. Olhem a história de vida de cada um que se candidata, porque candidato vem de Cândido, e nem todos são tão cândidos como o nome indica.
Vamos ao debate sobre esse projeto que entrega a aviação brasileira.



CHICO ALENCAR, DEPUTADO FEDERAL, ANÚNCIO, CANDIDATO A CARGO ELETIVO, SENADOR, PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE (PSOL). CRÍTICA, DECLARAÇÃO, PRECONCEITO RACIAL, CANDIDATO, VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA, CHAPA ELEITORAL, JAIR BOLSONARO, DEPUTADO FEDERAL.
oculta