CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 181.3.55.O Hora: 9h4 Fase: BC
  Data: 06/07/2017

Sumário

Solicitação, pela Polícia Federal, de inclusão do Presidente Michel Temer e dos Ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco em inquérito destinado à investigação do envolvimento de membros do PMDB em esquema de corrupção no âmbito da Operação Lava-Jato. Defesa de autorização ao Supremo Tribunal Federal, pela Câmara dos Deputados, de investigação de denúncia apresentada pelo Procurador-Geral da República contra o Presidente da República. Inconsistência de discursos dos Deputados da base governista.

O SR. LUIZ COUTO (PT-PB. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, peço que seja dada a devida publicidade ao meu pronunciamento sobre a autorização de abertura do processo contra o Presidente Michel Temer nos meios de comunicação da Casa, inclusive no programa A Voz do Brasil.
Muito obrigado, Sr. Presidente.

PRONUNCIAMENTO ENCAMINHADO PELO ORADOR

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, estamos no terreno do surrealismo. Não devemos deixar passar por normal que sujeitos com uma ficha mais suja que pau de galinheiro, metidos na Lava-Jato, com uma lista de denúncias em seus Estados, deem aulas de ética e administração pública.
Por isso, desejo registrar que esta semana a Polícia Federal pediu a inclusão de Michel Temer como investigado no inquérito que apura se políticos ligados ao PMDB da Câmara se uniram e estruturam um esquema de corrupção investigado pela Lava Jato. A Polícia Federal também pediu a inclusão dos Ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco, dois dos principais assessores de Temer. A Procuradoria-Geral da República suspeita de que houve organização criminosa e comando político com objetivo de obter recursos de propina e caixa dois. O pedido da Polícia Federal foi enviado pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin à Procuradoria-Geral da República, que deverá dar um parecer sobre o caso.
Para tanto, Sr. Presidente, eu quero apenas registrar o desespero da base do Governo de desqualificar as denúncias e enganar a Nação brasileira. Por causa do golpe de 2016, o desemprego cresceu quase 3 milhões durante o Governo Temer. Os juros reais cresceram. Nós temos o aumento da inadimplência. E ficam discursando na televisão como se fossem os pais da ética e da moral. Falsos moralistas! Falsos moralistas! O povo está cansado de tanta mentira.
E ainda, senhoras e senhores, ajudem-me a entender uma coisa, o que um Ministro do Supremo Tribunal Federal foi fazer duas vezes em visitas quase secretas ao Presidente da Republica Michel Temer. Aliás, o mesmo Ministro tem afirmações apoteóticas sobre o Presidente investigado por crimes de corrupção passiva, obstrução à investigação de organização criminosa e participação em organização criminosa.
Tempos estranhos Deputadas e Deputados aqui presentes. Há quem diga que vivemos uma capitania hereditária pós-moderna. Quem defende este Governo e sua corrupção precisa entender que o povo não é bobo e está assistindo de pé a queda de todos vocês. Que a justiça seja feita neste País e que Deus tenha misericórdia de nós.
Era o que tinha a dizer.



REGISTRO, SOLICITAÇÃO, POLÍCIA FEDERAL, INCLUSÃO, MICHEL TEMER, PRESIDENTE DA REPÚBLICA, RELAÇÃO, INVESTIGADO, OPERAÇÃO LAVA JATO. CRÍTICA, BASE DE APOIO POLÍTICO, GOVERNO, DESQUALIFICAÇÃO, DENÚNCIA, CRIME COMUM, PRESIDENTE DA REPÚBLICA, PRESENÇA, MINISTRO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, REUNIÃO, PALÁCIO DO JABURU (BRASÍLIA, DF).
oculta