CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 171.3.55.O Hora: 12h10 Fase: OD
  Data: 28/06/2017

Sumário

Prejuízos decorrentes da realização de golpes de estado. Paralelo entre o golpe militar de 1964 e o processo de impeachment da então Presidenta Dilma Rousseff. Congratulação ao Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, pela apresentação de denúncia contra o Presidente da República.

O SR. LUIZ COUTO (PT-PB. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, neste pronunciamento falo sobre os prejuízos que qualquer golpe traz para a democracia, para a educação, para a saúde. Falo principalmente sobre o golpe que aconteceu ano passado, cujo resultado é este que vemos: uma quadrilha tomou conta do Brasil e está levando o nosso País à destruição total.
Eu quero parabenizar Janot pela denúncia feita, com todas as provas, para que efetivamente possamos fazer com que esse Presidente golpista seja afastado, porque ele não merece mais estar no poder.
Muito obrigado.

PRONUNCIAMENTO ENCAMINHADO PELO ORADOR

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, os não tão antigos anos da ditadura militar vividos em grande parte de nosso continente entre os 1960 e 1980 se mostram presentes, como resultado de velhas práticas que se renovam com os golpes dados desde maio de 2016.
O golpe de estado militar de abril de 1964 foi uma tragédia que mergulhou o Brasil em 20 anos de ditadura militar, com centenas de mortos e milhares de pessoas torturadas e desaparecidas. O golpe de estado parlamentar de maio de 2016 é uma farsa, um caso tragicómico, em que se vê uma maioria de Parlamentares reacionários e grande parte deles notoriamente corruptos expulsarem uma presidenta democraticamente eleita por 54 milhões de brasileiros, em nome de "irregularidades" contabilísticas.
A principal componente dessa aliança de partidos de direita é o bloco parlamentar (não partidário) conhecido como "a bancada BBBBB": "Bala" (Deputados ligados à Polícia Militar, aos esquadrões da morte e às milícias privadas), "Boi" (grandes proprietários de terra, criadores de gado), "Bíblia" (neopentecostais integristas, homofóbicos e misóginos), Bola (pessoas ligadas ao esporte e ao recebimento de propinas) e Banqueiros (representantes de bancos e outras entidades, órgãos financeiros e da Bolsa de Valores).
Dentre os partidários mais empolgados com a destituição de Dilma, destaca-se o Deputado Jair Bolsonaro, que dedicou o seu voto aos oficiais da ditadura militar e nomeadamente ao Coronel Ustra, um torturador notório. Uma das vítimas de Ustra foi Dilma Rousseff, que, no início dos anos 1970, era militante de um grupo de resistência armada. Outra vítima dele foi Luiz Eduardo Merlino, jornalista e revolucionário, morto em 1971 sob tortura, aos 21 anos de idade.
A tortura do passado se tornou um pesadelo presente. Antes matavam e sumiam com os corpos, hoje se tortura através das retiradas dos direitos trabalhistas, previdenciários e do congelamento de gastos por 20 anos. Ulysses Guimaraes já dizia, "o inimigo mortal do homem é a miséria". Sabemos que a maior tortura é o que estão tentando fazer com o povo brasileiro. Estão querendo deixá-lo na miséria e torturá-lo psicologicamente, implantando a insegurança e o medo.
O que a tragédia de 1964 e a farsa de 2016 têm em comum é o ódio à democracia. As duas represálias ao povo revelam o profundo desprezo que as classes dominantes brasileiras têm pela democracia e pela vontade popular.
O golpe de estado são farsas dos torturadores políticos, e não podem continuar esfarelando um país democrático. As classes populares, os movimentos sociais e a juventude rebelde ainda precisam despertar quanto à escravidão moderna chamada Golpe de 2016.
Era o que tinha a dizer.



COMPARAÇÃO, PREJUÍZO, SOCIDEDADE BRASILEIRO, GOLPE DE ESTADO, IMPEACHEMENT, DILMA ROUSSEFF, EX-PRESIDENTE DA REPÚBLICA, GOLPE DE ESTADO (1964). CONGRATULAÇÃO, RODRIGO JANOT, PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA, DENÚNCIA, CRIME COMUM, MICHEL TEMER, PRESIDENTE DA REPÚBLICA.
oculta