CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 135.4.55.O Hora: 14h12 Fase: PE
  Data: 30/05/2018

Sumário

Consequências do movimento grevista dos caminhoneiros sobre a população brasileira. Prejuízos causados à imagem do Parlamento brasileiro pela presença de policiais nas dependências da Casa para cumprimento de mandado contra Deputados do PTB e do Solidariedade. Crítica a manifestações por intervenção militar no País.

O SR. CHICO ALENCAR (PSOL-RJ. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, num país dependente da matriz automotiva rodoviária é evidente que os preços dos combustíveis exercem um papel central. Isso afeta a totalidade da população. Por isso, vivemos um momento de profundo descontentamento em todas as camadas sociais. E, em meio a esse descontentamento geral, há também o dos mais prejudicados, dos mais sofridos, entre os quais estão aqueles e aquelas que dependem, por exemplo, do gás de cozinha, que aumentou 67% no último ano.
Há também os aproveitadores do momento recente, gente que está especulando com o preço dos gêneros de primeira necessidade. Isso não está acontecendo só com a gasolina para os automóveis nos postos, não. O preço da cebola, do arroz, do feijão, enfim, dos hortifrútis, tudo sobe exponencialmente, porque temos, no Brasil, a cultura do ganho fácil, a cultura da especulação, a cultura da exploração. E, nesse quadro, ainda temos um desgoverno que não tem capacidade de ação, nem credibilidade.
Para completar esse cenário - parece que só faltava isso nesta semana curta por causa do feriado de amanhã, mas longa em aprofundamento da crise -, temos a polícia mais uma vez na Câmara dos Deputados. Isso nos atinge a todos. Ainda que as portas que tenham sido não arrombadas, mas abertas com ordem judicial, para haver a investigação hoje de três Deputados - dois do PTB e um do Solidariedade -, isso atinge a todos nós, porque a imagem do Parlamento fica cristalizada como um espaço da malandragem, como um espaço no mínimo suspeito. Seria muito bom que os partidos dos Parlamentares acusados ou investigados assumissem essa situação e viessem proclamar a sua honestidade ou uma eventual injustiça. Além disso, tivemos um Deputado do PP, o Deputado Nelson Meurer, condenado na instância suprema e última da Justiça. Isso é ruim para todos nós.
Por outro lado, temos que renovar a vida política brasileira, dotá-la de absoluta transparência, austeridade, necessidade da franqueza e de uma nova dimensão de diálogo com a população, sem o que o número de votos nulos e brancos daqui a 4 meses vai ser recorde na história republicana brasileira.
Portanto, é preciso que cada Poder da República assuma suas responsabilidades, use seus meios correcionais e de ética e decoro, faça uma revisão da sua postura de atuação e corte estruturalmente suas demasias. E aí, não é só o Poder Legislativo, mas também o Poder Judiciário e o Poder Executivo, porque a população nos olha sempre como uma casta privilegiada, e tem razão nisso. E essa casta, quando se dissocia, inclusive, dos interesses reais da população, só votando matérias de interesse de grandes corporações privilegiadas, aí é que se autoimola.
O tempo é de profunda crise, mas queremos reafirmar aqui que, em crises de democracia e de representação, a solução é mais democracia e representação mais autêntica. Intervenção militar é solução falsa, retrógrada, obscurantista, para que o Brasil caia de novo em tenebrosas transações ocultas. Isso é inadmissível! Queremos a intervenção popular democrática e eleitoral livre sempre!
Muito obrigado.



GREVE, MOTORISTA DE CAMINHÃO. POLICIA FEDERAL, INVESTIGAÇÃO, DEPUTADO, PARTIDO TRABALHISTA BRASILEIRO (PTB) (1980), SOLIDARIEDADE (SD), CUMPRIMENTO, MANDATO, CAMARA DOS DEPUTADOS. INTERVENÇÃO, MILITAR, REPUDIO.
oculta