CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 114.3.55.O Hora: 16h46 Fase: BC
  Data: 15/05/2017

Sumário

Responsabilização do Poder Judiciário pelo assassinato do Cabo Luciano Pereira dos Santos no Município de Aparecida de Goiânia, Estado de Goiás. Crítica à concessão de indulto especial por ocasião do Dia das Mães. Exaltação da conduta do Cabo Heitor Theodoro da Silva, da Polícia Militar do Distrito Federal, no salvamento de vítimas de incêndio.

O SR. ALBERTO FRAGA (DEM-DF. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, ocupo a tribuna para externar o meu luto e os meus pêsames à família do Cabo Luciano, que foi assassinado, executado covardemente por dois menores na cidade de Aparecida de Goiânia.
E aqui vai mais uma notícia para o Poder Judiciário: os dois menores foram colocados em liberdade por ocasião do indulto do Dia das Mães. O Poder Judiciário se encontra tão sem limites que chega ao absurdo de conceder indulto do Dia das Mães para Suzane Richthofen, que matou os pais! Que Poder Judiciário é esse, que faz o que bem entende? E eu não vejo nenhuma cobrança por parte da mídia com relação a esses atos insanos.
A morte do Cabo Luciano é culpa única e exclusivamente do Poder Judiciário, primeiro, porque este soltou os menores bandidos - eles não estavam na cadeia - e, segundo, porque não dá a devida proteção para os policiais deste País.
Sr. Presidente, o segundo ato que eu quero fazer aqui é de elogio. Encheu-nos de orgulho o Cabo Heitor, da Polícia Militar do Distrito Federal, que há três dias, vendo pegar fogo uma casa onde mais de 20 pessoas se encontravam dormindo, salvou a vida delas. Ele arrombou uma porta de ferro, invadiu aquela residência e tirou as pessoas, que estavam dormindo - elas fatalmente morreriam carbonizadas se não fosse a coragem do Cabo Heitor.
Inclusive, eu farei por meio da Comissão de Segurança Pública uma moção, por um lado, elogiando a atitude desse Policial Militar e, por outro, lamentando a morte do Cabo Luciano.
Mas Deus sabe o que faz: enquanto leva a vida de alguém que também salvou muitas vidas - esse é o caso do Cabo Luciano -, Ele nos dá esse herói, um herói nacional, que foi motivo de orgulho para a Polícia Militar e, inclusive, objeto de matéria do Jornal Nacional. Poucas vezes se vê um jornal nacional elogiar uma ação meritória do policial militar.
Então, eu externo aqui o meu luto pela morte do guerreiro, do homem de bem, do policial militar Cabo Luciano Pereira, que foi executado. Dizem que neste País não há pena de morte, mas há, sim: para o policial militar, há pena de morte, porque, quando esses bandidos vagabundos pegam um policial, eles o matam sem dó nem piedade.
Aí fica o pessoal dos direitos humanos defendendo bandido - e defendem mesmo, porque eu não vi nenhum deles aparecer na casa do Cabo Luciano, que deixou duas filhas para serem cuidadas, nem mesmo para dar os pêsames.
Muito obrigado, Sr. Presidente.
O SR. PRESIDENTE (Carlos Manato) - Muito obrigado, Deputado.



HOMICIDIO, LUCIANO PEREIRA DOS SANTOS, CABO, POLICIA MILITAR, APARECIDA DE GOIÂNIA (GO), INDULTO, DIA DAS MÃES, PROTESTO, HEITOR THEODORO DA SILVA, DISTRITO FEDERAL (BRASIL), ATUAÇÃO, INCENDIO, ELOGIO.
oculta