CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 101.4.55.O Hora: 14h20 Fase: BC
  Data: 08/05/2018

Sumário

Necessidade de articulação entre as forças nacionais e estaduais para a redução do elevado número de homicídios no Estado do Ceará. Falta da vacina contra a gripe H1N1 no Estado.

O SR. DANILO FORTE (PSDB-CE. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, quero agradecer a oportunidade de voltar a esta tribuna depois de momentos tão difíceis que estamos atravessando no Ceará atualmente.
Aqui, eu já falei da Cecília; aqui, eu já falei do Betinho; na semana passada, do Fonsequinha; e agora, pela manhã, do Lucas Estevão Nogueira da Silva, filho do ex-Vereador Luciano do Mercado, lá de Horizonte. Lucas, com apenas 21 anos de idade, um jovem que tinha o futuro todo pela frente, teve sua vida ceifada nesse movimento em que o Estado do Ceará, a cada momento, expõe-se a uma fragilidade muito grande.
De 1º de janeiro até ontem, houve 1.802 homicídios. Repito: 1.802 homicídios! E é como se estivesse tudo na santa paz do Senhor. É como se fosse uma festa permanente em que o Governo do Estado, a cada semana, faz eventos, promete obras que não são realizadas, cria uma expectativa na população e, de fato, nada muda, a não ser a angústia e o medo que dominam mais ainda as famílias no Estado do Ceará.
Ontem mesmo, o Governador Camilo Santana esteve em Caucaia. Caucaia tem uma escola pública em Curicaca, onde mais de 200 crianças já deixaram a sala de aula, porque as famílias têm medo de levar seus filhos à escola em virtude da exposição à violência que se vive no Ceará hoje.
Não bastasse isso, no feriado do dia 1º de maio, tive a oportunidade de receber uma homenagem na Praia de Morro Branco, que é a praia mais conhecida do Estado do Ceará, uma das mais belas do mundo e está totalmente esvaziada. Um senhor dono de hotel me disse que no hotel dele estava tudo funcionando para atender única e exclusivamente a uma família em um apartamento. Ele me disse ainda que a mulher dele já queria fechar o hotel e encerrar a atividade econômica deles. E olhem que a vocação natural do Ceará para o turismo é uma coisa que marca nossa história e nossa relação com a beleza das praias e do sol.
Então, Sr. Presidente, eu acho que aquilo que temos dito desde janeiro cada vez se aproxima mais. É necessária uma articulação firme e coerente das forças estaduais com as forças nacionais, para que possamos garantir um pouco de sossego e paz às famílias cearenses.
Nós não aceitamos mais só o discurso fácil, da conveniência, como se nada estivesse acontecendo. Os reflexos hoje estão na economia, estão dentro das casas das pessoas. E se já não bastasse tudo isso, nós ainda estamos sofrendo com o crescimento da incidência de casos da gripe H1N1, que está aterrorizando o Estado do Ceará, com 21 óbitos, mais de 99 casos já confirmados e a falta de vacina.
Esse é outro desespero. Agora, nos postos de saúde, nas UPAs, as pessoas procuram a vacina e não a encontram. É necessário que nós nos vacinemos, que nós corramos aos postos de saúde, porque a H1N1 mata; e ela é fruto exatamente de outra política desastrosa no Estado do Ceará, que é a falta completa de saneamento básico no nosso Estado. Há 12 anos não se faz esgotamento sanitário em nenhuma cidade do Estado do Ceará.



SEGURANÇA PÚBLICA, HOMICÍDIO, AUMENTO, CEARÁ, PROVIDÊNCIAS, NECESSIDADE. GRIPE H1N1, VACINA, CEARÁ, NECESSIDADE.
oculta