CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 053.3.55.O Hora: 15h34 Fase: OD
  Data: 29/03/2017

Sumário

Importância da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, destinada à investigação de denúncias de irregularidades no controle sanitário de carnes produzidas no Brasil. Confiança na atuação do Governo Federal para a superação de problemas decorrentes da Operação nas relações comerciais do País.

O SR. ROBERTO DE LUCENA (PV-SP. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, exatamente quando a economia brasileira começou a dar sinais concretos de recuperação e no dia em que a Lava-Jato completou 3 anos, foi deflagrada a Operação Carne Fraca, que estourou o esquema de corrupção envolvendo frigoríficos e agentes públicos e revelou gravíssimos problemas envolvendo a nossa segurança alimentar.
A carne é um setor estratégico. O Brasil é líder global em exportação de carne bovina. Em 2016 foram exportados 6,7 milhões de toneladas de carne, que resultaram em um total de 14,2 bilhões de dólares. Os mais de 5 mil frigoríficos em todo o País geram cerca de 7 milhões de empregos e, somando o mercado interno e externo, movimentam aproximadamente 56,2 bilhões de dólares ao ano.
Diante da reação internacional, quando nossos maiores compradores decretaram embargo à importação da carne brasileira, o Governo do Presidente Temer, através do Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, mobilizou-se de forma objetiva e foi eficiente em gerenciar a gravíssima crise estabelecida, o que tem resultado na revisão do embargo internacional.
Entre as medidas tomadas ocorreu um autoembargo, no qual 21 frigoríficos implicados foram impedidos de vender os seus produtos para o mercado externo.
Esses 21 frigoríficos, no entanto, Sr. Presidente, não foram impedidos pelas autoridades do setor de vender a carne para consumo interno, o que eu questiono, pois o consumidor brasileiro não pode ser desrespeitado. O que não serve para o mercado externo não serve também para o interno.
A questão da segurança alimentar é uma agenda prioritária diante de tantas evidências que põe em dúvida a boa qualidade dos alimentos consumidos pela população brasileira.
E uma dessas pautas é o tema bem-estar animal. Soube que, pouco antes dessa crise, a gestão das galinhas poedeiras País afora e a agenda do bem-estar animal como um todo foram levadas ao Ministro Blairo, mas foram consideradas não prioritárias.
Estamos falando de vidas que nascem e morrem em gaiolas, sem espaço para sequer abrirem suas asas, o que, além da questão ética, deve inspirar cuidados com a saúde pública, pois é sabido que as aves e os animais em condição de estresse desenvolvem hormônios que não são saudáveis para o consumo humano.
A Operação Carne Fraca chamou a atenção dos brasileiros para a qualidade dos nossos alimentos. Diante de uma sociedade mais atenta, mais crítica e mais exigente, a minha expectativa é a de que assumamos o compromisso com uma cadeia de produção alimentar sustentável econômica e eticamente.
Com relação a este momento de dificuldades pelo qual passa o setor, estou convencido de que a eficiente atuação do Governo nos levará a superar rapidamente todos os problemas.
Com relação à carne em si, daqui a uns anos, tenho a impressão de que nossos descendentes acharão muito estranho que nós ainda comamos carne.
Enquanto isso, ou como diz o Presidente Temer, "a carne brasileira é forte" Ou, em última análise, a carne brasileira é fraca, mas é boa.
Era o que tinha a dizer, Sr. Presidente.
Que Deus nos ajude! Que Deus abençoe o Brasil!
Muito obrigado.


ELOGIO, ATUAÇÃO, MICHEL TEMER, PRESIDENTE DA REPÚBLICA, BLAIRO MAGGI, MINISTRO DE ESTADO, MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, REDUÇÃO, PREJUÍZO, EMBARGO, EXPORTAÇÃO, CARNE BOVINA, BRASIL, DECORRÊNCIA, OPERAÇÃO CARNE FRACA.
oculta