CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 002.4.55.O Hora: 19h36 Fase: BC
  Data: 06/02/2018

Sumário

Descaso do Governo Federal com a saúde pública, especialmente em face do alastramento de casos de febre amarela no Brasil. Crítica a alterações propostas à Previdência Social pelo Governo Federal.

O SR. CHICO ALENCAR (PSOL-RJ. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Deputado Carlos Manato, Deputadas, Deputados, servidores, todos os que acompanham esta sessão, no período do recesso, fomos "presenteados", com todas as aspas, com a ida do Sr. Presidente da República a programas populares de TV, dos apresentadores Silvio Santos e Ratinho.
Mas, estranhamente, S.Exa. não foi falar de algo que preocupa profundamente a totalidade da população brasileira, que não está tão ligada na festa popular da alegria, o nosso maravilhoso carnaval, e muito menos no início trôpego, débil, fraco e desidratado dos trabalhos legislativos aqui no Congresso Nacional. O que aflige a população brasileira hoje e agora é o surto de febre amarela.
E o grande vetor dessa doença, que foi combatida há mais de 1 século por Oswaldo Cruz, de maneira quase heroica, é o poder público. Absurdamente, no plano da União, no início do ano passado - e há registros -, o Ministro Ricardo Barros, eleito Deputado pelo PP, disse que tudo estava absolutamente sob controle. Segundo ele, os focos existiam, sobretudo em Minas Gerais, mas já estava tudo absolutamente delimitado, e a erradicação viria em breve. Em abril do ano passado, S.Exa. disse que jamais haveria fracionamento da vacina, e o que se vê hoje? Só neste ano de 2018, houve 40 óbitos, sobretudo na Região Sudeste, dita tão desenvolvida, mas o fracionamento da vacina gera controvérsias. Qual a durabilidade dessa imunização?
Portanto, o Brasil começa 2018 com sinais trocados. A autoridade pública, que deveria se preocupar com a saúde pública sobretudo, está é preocupada em trazer alterações à Previdência Social que são enganosas.
Ao bom debate estamos aqui dispostos, para mostrar, inclusive, a falácia do débito, a não cobrança do devido por empreiteiras, por bancos, pela JBS. Enfim, nós vamos à luta fazer o bom debate e denunciar as injustiças.
O SR. PRESIDENTE (Carlos Manato) - Muito obrigado, nobre Deputado.



CRÍTICA, GOVERNO FEDERAL, ERRADICAÇÃO, FEBRE AMARELA. CRÍTICA, PEC 287/2016, PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO, REFORMA PREVIDENCIÁRIA (2016).
oculta