CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: 011.2.53.O Hora: 15h10 Fase: PE
  Data: 19/02/2008

Sumário

Homenagem póstuma ao empresário do setor cafeeiro Ernesto Illy. Homenagem à memória do Sr. José Soares Amaral ao ensejo do transcurso do centenário do seu nascimento.




O
SR. CARLOS MELLES (DEM-MG. Pronuncia o seguinte discurso.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, como Parlamentar que vive o dia-a-dia do produtor e trabalhador rural da cafeicultura, não poderia deixar de prestar esta homenagem a um homem que faz parte da história da cafeicultura mundial, mais especialmente da cafeicultura do Brasil, o nosso Embaixador do Café, Ernesto Illy.
Tenho na minha história a confiança na profissionalização do setor, com base nas pesquisas que com o tempo resultaram na melhoria da qualidade do cafébrasileiro. Boa parte dessa qualidade vem do empenho de Ernesto Illy, um precursor dos concursos de qualidade do café brasileiro, que já está na sua 17ª edição, apostando na melhoria do grão quando o País era reconhecido apenas pela quantidade de sua produção e não pela qualidade.
Empresário visionário, dedicava grande parte do seu dia aos estudos referentes à cafeicultura, o que se concretizou com a criação da Universidade Illy do Café.
Formado em química pela Universidade de Bolonha, na Itália, o Dr. Ernesto Illy assumiu a presidência da Illy Café em 1963, em substituição ao seu pai, Francesco Illy, fundador da torrefadora.
Ernesto Illy faleceu no dia 3 de fevereiro passado e deixou um importante legado para todos os que vivem e acreditam na cafeicultura brasileira. Tinha confiança na qualidade do nosso grão e administrava seus negócios com equilíbrio, quando dizia que o mais importante é vender um produto que agrade ao paladar, o que fez da Illy uma grande torrefadora que, apesar de não ser a maior do mundo, vende diariamente 6 milhões de xícaras e fatura anualmente 280 milhões de euros.
Por isso, faço aqui esta homenagem, principalmente na qualidade de Presidente da Frente Parlamentar do Café e como um pesquisador que acredita no passado, no presente e no futuro do café em nosso País, que dentro de poucos anos assumirátambém a posição de primeiro consumidor mundial do produto, uma vez que já somos o maior produtor mundial.
Rendo aqui desta tribuna esta merecida homenagem e reforço a minha confiança no agronegócio brasileiro, rogando a todos que como Ernesto Illy acreditam e apostam no cafébrasileiro que aprendamos com o legado deixado por ele a valorizar a qualidade do nosso produto e a respeitar o produtor e o trabalhador rural em nosso País, porque os frutos podem ser observados nos resultados para a nossa economia ao longo dos últimos anos.
Passo a abordar outro assunto, Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados. No dia 15 de janeiro passado, em minha terra natal, São Sebastião do Paraíso, lembramos com emoção o centenário de nascimento do grande cidadão mineiro José Soares do Amaral, conhecido carinhosamente por todos como Zezé Amaral.
Foi um homem vocacionado para liderar. Em uma época em que ainda não se falava em empreendedorismo, ZezéAmaral foi daqueles que avançaram em seu tempo, deixando um grande legado, sendo talvez o deles um extenso curriculum de exemplos de trabalho, ética e parceria, que construíram obras e serviços que ainda hoje estão vivos na memória da nossa comunidade.
Recordo-me bem do seu jeito comunicativo e alegre, que contagiava todos. Mas era também firme e impositivo em suas ações. Com esse espírito natural de liderança e boas intenções, atuou de forma positiva como parceiro fundamental na fundação do Rotary Club, da Rádio Difusora Paraisense, dos cines São Sebastião e Recreio, de uma fábrica de macarrão e da galeria central em nossa querida cidade de São Sebastião do Paraíso.
São apenas alguns exemplos da envergadura de seu trabalho, já que a todo instante nos deparamos com algo que teve a participação de Zezé Amaral. Há poucos dias, li no Jornal do Sudoeste sobre os 50 anos da morte brutal do jovem Zezé Rosa. Não é que a capela no Cemitério da Saudade, venerada por centenas de pessoas, um espaço simples, mas de grande significado para milhares de fiéis, teve a frente de sua construção nosso valoroso Zezé Amaral!
Zezé Amaral faleceu em 21 de julho de 1974. Sua morte deixou a nossa cidade órfã do seu empreendedorismo e do seu brilhantismo. Órfã de um homem que não poupou os seus esforços para melhorar a qualidade de vida da nossa população.
É inegável, como disse, a extensão do ser humano e da obra de Zezé Amaral, mas, ao relembrar o momento em que completaria seu centenário de nascimento, tenho a convicção de que a melhor forma de homenageá-lo é lembrar dessa figura carismática e de grande inserção social por meio dos 4 filhos que teve com a D. Otilia Amaral Soares, uma senhora que possuía a grandeza dos valores cristãos, uma mãe e mulher exemplar.
Minhas considerações aos familiares e especialmente aos irmãos, Maria Otilia, Maria Helena, Gilberto e Luciano, este jáfalecido. Vale destacar esta família constituída por Zezé Amaral na figura do amigo Gilberto Amaral, que herdou do pai o tino jornalístico, o gosto apurado pelas boas obras coletivas, a sensibilidade e o amor pela nossa terra Paraíso, abençoada por São Sebastião.
Esse dom fez com que Gilberto Amaral, depois de uma carreira impecável, se tornasse o colunista da então nova Capital do Brasil. Nascia Brasília e lá estava Gilberto Amaral para dizer ao mundo da vida que pulsava no centro do poder nacional. Gilberto fez escola. Assim como seu pai, é também reconhecidamente um grande líder.
É dessa forma que ocupo esta tribuna, que já registrou grandes momentos do nosso País, para dizer da dignidade, do trabalho e da dedicação de Zezé Amaral, fato que muito nos inspira nas atividades de Parlamentar para que possamos dar continuidade ao seu legado e, com base em sua história, darmos seqüência a sua obra juntamente com os seus filhos e netos.
Faço aqui esta homenagem a nosso querido Zezé Amaral e a estendo a todos os seus familiares e aos paraisenses, povo de uma cidade acolhedora que reconhecidamente celebrou com orgulho o seu centenário e com certeza constroem o dia-a-dia de São Sebastião do Paraíso tendo como grande exemplo sua vida e seu empenho.
Muito obrigado.


ERNESTO ILLY, EMPRESÁRIO, CAFEICULTOR, HOMENAGEM PÓSTUMA. JOSÉ SOARES AMARAL, CENTENÁRIO, NASCIMENTO.
oculta